segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Esse “Fora, Aébrio” é uma senha: não se metam com São Paulo.

GilsonSampaio

Na convenção estadual da tucanalhada paulista ouviu-se sonoro coral “Fora Aébrio”.  À primeira vista, pode-se até achar graça da desdita do mineiro, mas o buraco é mais em baixo.

Em todas as eleições passadas, à exceção da última, os candidatos da tucanalhada foram paulistas: Farol, Mitômano e Chuchu. De tanto se desgastarem ao apanharem seguidas vezes de Lula e Dilma, viram-se forçados a abrir espaço para um nome fora de São Paulo.

Único predicados bom de Aébrio era o fato de ter começado na política pelas mãos de seu tio Tancredo Neves, o resto é uma folha corrida só: Furnas e Cidade Administrativa para não estender muito a lista. Isto antes da lava-jato, pois agora figura como campeão de delações -  por volta de nove.

A pinta de bom moço sustentava-se apenas na mídia golpista, em Minas calou com truculência a mídia não comprometida e dizia-se que quem governava de fato era sua irmã Andreia – presa pela lava-jato. Enquanto isso, durante seu desgoverno, viajou cerca de 180 vezes para o Rio, onde foi filmado bebaço num bar do Leblon. Consta também um outro constrangimento maior proporcionado pela torcida mineira que entoou “Ô Maradona, vai se fuder, o Aécio cheira mais do que você” num jogo entre Brasil x Argentina.

Tem também uma história do aeroporto na fazenda do titio, associação com Perrela e o helicóptero com 450kg de cocaína.

Logo após ser derrotado, declarou publicamente que ia paralisar o congresso para ferrar com a Dilma, e... a tucanalhada bateu palma e agiu de acordo.

Com o golpe consolidado a tucanalhada se assanhou pensando em 2018, só não contavam com o título de hors concours em delações que Aébrio ganharia da lava-jato. Não duvidem, Aébio seria 'comido' pela tucanalhada paulista.

A tucanalhada paulista sempre esteve tranquila porque conta com a cobertura da justiça e da mídia, um de seus próceres mais canalha, quando descoberto em falcatruas, dizia: isso é tro-ló-ló de petista, e a vida seguia como se não houvesse nada de anormal com a justiça e a mídia.

Esse tro-ló-ló todo é pra dizer que esse “Fora, Aébrio” nas hostes tucanas não passa de engana trouxa, a tucanalhada, melhor que ninguém, sabia muito bem quem era Aébrio quando o elegeu presidente do PSDB.

Esse “Fora, Aébrio” é a reconquista do PSDB pela tucanalhada paulista.

Esse “Fora, Aébrio” é uma senha: não se metam com São Paulo.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.