quinta-feira, 3 de setembro de 2015

O palpite de Moro de que Lava Jato não terá custo para a economia

Via Brasil Popular

J. Carlos de Assis

O juiz Sérgio Moro alega que a operação Lava Jato não tem efeito sobre a economia. Seu fundamento é de uma simplicidade angelical: “o policial que descobre um cadáver não é responsável pelo crime”. Vamos analisar essa metáfora. Um policial que descobre um cadáver pode estabelecer a partir dele relações de causalidade até chegar ao criminoso. Entretanto, se esse policial começa a prender gente a torto e a direito, a negar a presunção de inocência, a esbulhar os acusados no seu direito ao habeas corpus, a determinar prisões indefinidas sem julgamento... bem, nesse caso ele não é responsável pelo crime investigado em primeira mão, mas pelo crime correlato de tortura psicológica para obter delações premiadas.

José Dirceu, já preso, sofreu a superposição de outra prisão, determinada por Moro, sem saber do que é acusado. É exatamente como fazia com seus presos a velha Inquisição e, mais recentemente, o nazismo. Ele fez muito bem em recusar-se a falar à CPI, embora isso pudesse lhe render alguns holofotes: afinal, se fosse um idiota, responderia aos inquisidores, dando oportunidade a que, nos intervalos de suas falas, os promotores e o juiz vasculhassem algo mais de que acusá-lo sem outras provas. O fato patético é que a TV Globo, para tripudiar sobre um acusado já levado ao limite da humilhação, deu publicidade, no Jornal Nacional, às perguntas acusatórias de extrema agressividade, porém vazias de conteúdo, de membros insignificantes da Comissão, e anunciando desde logo que não haveria respostas, como se o silêncio fosse confissão de culpa.

Mas meu ponto inicial é o efeito da Lava Jato sobre a economia. Escrevi vários artigos nos meses anteriores antecipando que esse efeito seria em torno de 3% de contração do PIB. Certamente Sérgio Moro, luminar em Direito, não deve ter prestado muita atenção no curso de Introdução à Economia que se costuma dar nas faculdades de Direito. Nisso seria apenas um idiota, se não fosse pretensioso e arrogante: se somado o efeito da Lava Jato ao efeito do arrocho Levy, de uns 2% de contração, teremos uma depressão para todos os efeitos gigantesca, da ordem de 5% este ano. O cadáver da corrupção na Lava Jato respondeu por 0,0001% do PIB, segundo minhas estimativas. A tortura psicológica e material imposta a seu entorno pelo juiz Moro, significando imensa queda de investimentos na cadeia produtiva do petróleo e à perda de centenas de milhares de empregos, deve implicar para a sociedade um custo total de US$ 100 bilhões, ou R$ 360 bilhões. Valerá a pena tanta prisão arbitrária?

J. Carlos de Assis é economista, doutor pela Coppe/UFRJ, autor do recém-lançado “Os Sete Mandamentos do Jornalismo Investigativo”, ed. Textonovo, SP. Já na Internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.