segunda-feira, 15 de junho de 2015

Um mundo melhor não é só possível mas também é imprescindível

Via Granma

O primeiro vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros de Cuba, Miguel Díaz-Canel, discursou na Cúpula dos Povos, efetuada em 111 de junho em Bruxelas

BRUXELAS.—O primeiro vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros de Cuba, Miguel Díaz-Canel, declarou em 11 de junho, na Cúpula dos Povos, que teve lugar na capital belga, que um mundo melhor não só é possível mas também é imprescindível para a sobrevivência da humanidade.

Na Cúpula, Díaz-Canel transmitiu aos presentes a saudação solidária do líder histórico da Revolução, o comandante-em-chefe Fidel Castro, e também a do presidente cubano, general-de-exército Raúl Castro Ruz.

Díaz-Canel sustentou, ainda, que na América Latina, depois de décadas de luta contra as tentativas de isolar a Revolução Cubana, se iniciaram novos caminhos de transformações em benefício dos povos.

Assinalou que a proclamação da América Latina e o Caribe como Zona de Paz reafirmou os princípios que devem reger entre nossos países e o direito indissolúvel a eleger o sistema político, econômico, social e cultural próprio como condição para assegurar a convivência pacífica.

A reunião coincidiu com a celebração na capital belga da 2ª Cúpula entre a Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) e a União Europeia (UE).

Em uma intervenção amplamente aplaudida, o dirigente reiterou, também, o apoio de seu país à Venezuela, Argentina, Equador, Porto Rico e reafirmou que os cubanos seguiremos reclamando o fim do criminal bloqueio econômico, comercial e financeiro contra nossa nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.