sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sergio Ricardo: O PRÓXIMO PASSO DA LEI.

feicibuqui do Sergio Ricardo

bebê

Ja se cogita uma nova lei para punir os recém nascidos useiros e vezeiros do habito de praticar irregularidades no aconchego do lar.

Tendo em vista a quase unanimidade das contravenções cometidas pela totalidade da categoria, emporcalhando e tumultuando a vida de seus tutores, a Assembleia legislativa discutirá a aprovação da lei a ser aplicada aos delinquentes da categoria, cujas transgressões vem atormentando o cotidianos de pais, médicos e enfermeiras de todo pais, emporcalhando a nação com seus crimes contra a decência e a tranquilidade dos lares que abrigam essa espécie irreverente e ditatorial que inferniza a decência e a moral dos lares brasileiros.

O bebê que chorar mais de dez minutos interrompendo o sono dos pais terá a boca calada e colada com esparadrapo até se acostumar com a represália.

Se cagar na fralda será preso sumariamente até conseguir pedir pinico.

Se recusar o peito da mãe terá que ser encaminhado ao analista e se insistir no trauma, vendido para a primeira masoquista que se prontificar.

Se regurgitar enquanto estiver no colo de alguém será encaminhado ao chiqueiro mais próximo para aprender a conviver com seus iguais.

Outras medidas ainda mais radicais estão sendo discutidas e a mais significante é a última que atribue ao delinquente a pecha de irreverência suprema. Aquela em que ao se trocar sua fralda se receba uma mijada pelas ventas. Dentre as penas a serem aplicadas variam entre enfermeira, mãe e pai. E se este último for um político, a pena será de prisão perpétua, enquanto não passar no congresso a lei do enforcamento.

Qualquer semelhança com a lei aprovada recentemente é mera coincidência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.