quarta-feira, 22 de abril de 2015

5 frases inesquecíveis de Albert Einstein

Sanguessugado do Pragmatismo Político

Na semana em que se completa 60 anos da morte de Albert Einstein, é imprescindível recordar algumas peculiaridades de uma das mais fascinantes personalidades da história da humanidade

albert einstein frases cientista

Albert Einstein: para além da Ciência, um humanista (arquivo)

Albert Einstein morreu no dia 18 de abril de de 1955 aos 76 anos de idade. Na semana em que seu falecimento completa 60 anos, é imprescindível recordar algumas peculiaridades fascinantes de uma das mais célebres personalidades surgidas no século XX – ou na história recente da humanidade. Einstein foi um dos poucos cientistas que teve o mérito de compreender o entrelaçamento entre método científico e abordagem filosófica.

Um trecho de uma reportagem de capa da revista Super Interessante, edição de 1987, resume a importância de Einstein para o desenvolvimento humano e científico:

Einstein alcançou uma dimensão só comparável à do filósofo grego Aristóteles (século IV a. C.) e à do físico inglês Isaac Newton (1643-1727). Sua Teoria da Relatividade seria o marco fundador da Física contemporânea, com profundas repercussões em outros ramos da ciência. Ela daria a chave para a explicação da origem do Universo e para a desintegração do átomo. Mas a bomba atômica é a filha indesejada das elocubrações desse pacifista radical – um homem de bem com o mundo e a vida.

A humildade do físico, uma de suas principais virtudes, já foi testemunhada em diversas passagens bibliográficas:

O físico brasileiro Mário Schenberg, que teve a sorte de conhecer Einstein pessoalmente, quando esteve na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, nos anos 40, lembra-se dele “com seu jeito muito simples, um grande casacão que costumava abotoar até a altura do pescoço, sandálias que nunca abandonava e imensa cabeleira. Essa imagem, algo como a de um velho hippie, seria registrada em incontáveis fotografias. Ele mesmo ironizou certa vez o assédio dos fotógrafos ao preencher numa ficha de hotel: “profissão: modelo”.

Dono de convicções profundamente democráticas, que o faziam tratar qualquer pessoa com igual distinção, Einstein era também portador de modéstia verdadeiramente encantadora. O físico Banesh Hoffman, que em 1972 escreveu uma importante biografia dele, lembra-se que, ao encontrá-lo pela primeira vez, estava muito nervoso por falar com um homem que era uma celebridade. Einstein pediu-lhe que expusesse suas idéias e acrescentou: “Mas, por favor, fale devagar, pois tenho dificuldade em entender as coisas rapidamente”. A frase teve um efeito mágico, deixando Hoffman inteiramente à vontade.

Carl Sagan falou sobre Einstein em sua obra “O cérebro de Broca”:

“Antes de Einstein defendia-se que existiam sistemas de referência privilegiados e coisas tais como o espaço absoluto e o tempo absoluto. O ponto de partida de Einstein foi que, qualquer que fossem os sistemas de referência, todos os observadores (fosse qual fosse a sua localização, velocidade ou aceleração) veriam as leis fundamentais da natureza da mesma forma”.

Albert Einstein foi muito mais do que um cientista brilhante empenhado em superar os preconceitos e as capitulações ao idealismo que limitavam os avanços científicos de seu tempo. Para além da Teoria da Relatividade, relembre 5 frases memoráveis do físico:

1. “Senso comum não é nada mais do que um depósito de preconceitos colocados na mente antes de fazermos dezoito anos” (do livro Mathematics, Queen and Servant of the Sciences (1952); Eric Temple Bell)

2. “Se A é sucesso na vida, então A é igual a X mais Y mais Z. X é trabalho. Y é diversão, e Z é manter sua boca fechada!” (Observer, em 15 de janeiro de 1950)

3. “Meu apaixonado senso de responsabilidade social sempre contrastou com minha pronunciada ausência de necessidade de contato direto com outros humanos. Eu sou realmente um ‘viajante solitário’ e nunca pertenci a meu país, meu lar, meus amigos ou mesmo à minha família com todo meu coração. Mesmo com todos estes laços, nunca perdi a necessidade de estar sozinho”. (The World as I See: An Essay by Albert Einstein)

4. “Nada realmente valioso nasce da ambição ou do mero senso de dever. Só surge do amor e da devoção pelos homens” (Albert Einstein, The Human Side: Glimpses from His Archives)

5. “A mais linda experiência que podemos ter é o sentido do mistério. É a emoção fundamental, berço da verdadeira arte e da verdadeira ciência. Aquele que nunca teve essa experiência parece-me que, se não está morto, está cego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.