quinta-feira, 26 de março de 2015

Isso é um país moderno: é legal abrir off-shore de apartamento funcional, não é, Joaquim?

Sanguessugado do Tijolaço

Fernando Brito

caramujo

Uma das coisas que me encanta no Brasil é como todos são tratados da mesma maneira.

Imaginem o que seria descobrir que a Presidenta Dilma Rouseff abrira uma empresa off-shore em Miami dando como endereço “Palácio da Alvorada, Brasília”e com ela comprasse um apartamento num condomínio de luxo lá mesmo, no coração da pátria brasileira que habita a Flórida?

Ora, não aconteceria nada, segundo a Justiça  brasileira, que acha que isso “não comprova irregularidades”.

Pois foi exatamente isso o que aconteceu com o ex-ministro Joaquim Barbosa, que em pleno exercício  do cargo no Supremo Tribunal Federal, que presidiu, e gozando de uma moradia funcional, e usou como referência para abrir a sua Assas JB Corp, uma empresa fantasma só para escapar do pagamento de impostos na sua transação imobiliária.

Joaquim Barbosa teve recusada a ação popular que questionava a transação pela 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

O que quer dizer que, a partir de agora, já se pode abrir empresas nos EUA, nas Bahamas ou nas Ilhas Virgens usando como endereço um apartamento funcional.

E, como elas, adquirir patrimônio no exterior sem pagar impostos no Brasil.

Assim, com aval da Justiça.

Daqui a pouco vão dar endereço no HSBC da Suíça com endereço público.

Ainda bem que somos uma ditadura bolivariana, não é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.