quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

IRAQUE: OS NÚMEROS DO HORROR!

Sanguessugado do Bourdoukan

Georges Bourdoukan 

Sei que os números não sensibilizam. Mas eles são importantes como registro histórico. Portanto, segue abaixo uma das maiores monstruosidades causadas pela pior ditadura que já surgiu na face da terra: o estado terrorista dos Estados Unidos!
As informações foram extraídas do Tribunal de Bruxelas AQUI : 
* Lista parcial de 356 acadêmicos iraquianos assassinados sob ocupação dos Estados Unidos (atualizado 05 abril 2008) –AQUI
* Lista parcial de 284 profissionais de mídia iraquianos e 29 não-iraquianos que foram assassinados sob ocupação dos Estados Unidos (atualizado 28 Abril 2008) –AQUI 
* 2 mil médicos iraquianos foram assassinados sob ocupação dos Estados Unidos 
(11 de Abril de 2006) AQUI 
* Pelo menos 210 advogados e juízes foram assassinados desde 2003, além de dezenas de feridos em ataques. (30 de Abril de 2007) AQUI 
* Com base em estudos realizados por ONG locais, pelo menos 15.000 iraquianos “desapareceram” nos últimos quatro anos de ocupação dos Estados Unidos (18 de Abril de 2007). AQUI 
* A taxa de mortalidade infantil tem aumentado a um escalonamento de 150 por cento desde 1990. 122 mil crianças iraquianas morreram em 2005 antes de atingir o seu quinto aniversário. Mais de metade destas mortes entre recém-nascidos foram no primeiro mês de vida (08 de Maio de 2007) AQUI 
* Somente 50 por cento das crianças em idade escolar primária estão freqüentando aulas e este número passaria de 80 por cento em 2005. Cerca de 1500 crianças estão encarceradas ( 25 de Abril de 2008).* AQUI 
* Mais de 75 por cento dos médicos, farmacêuticos e enfermeiros perderam seus empregos desde que os Estados Unidos invadiram o Iraque em 2003. Mais de metade emigraram (Medact 16 Jan 2008) AQUI 
* Há cinco milhões de iraquianos órfãos(18 Dez. 2007) AQUI 
* O Ministério do Iraque para os Assuntos da Mulher, calcula em dois milhões de viúvas em um país de 27 milhões de pessoas. (31 Jan 2008) AQUI 
* 50.000 refugiadas iraquianas foram forçadas à se prostituir (24 junho 2007) AQUI 
* A invasão e a insegurança estão destruindo o meio ambiente. AQUI
* 8 milhões de iraquianos necessitam de ajuda de emergência imediata. A metade da população está a viver em pobreza absoluta. AQUI
* Faltam alimentos para 4 milhões pessoas que necessitam de diferentes tipos de assistência humanitária. AQUI
* Apenas 60% das 4 milhões de pessoas que dependem da assistência alimentar têm acesso a rações a partir da rede de distribuição pública. AQUI
O número de iraquianos que não têm acesso ao abastecimento de água subiu de 50% para 70% desde 2003. AQUI
80% das pessoas no Iraque não têm acesso a saneamento eficaz.AQUI
As taxas de desnutrição infantil aumentaram de 19% antes da invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, para 28% atualmente. AQUI .A guerra está a custar US $ 720 milhões por dia ou US $ 500 000 por minuto. O dinheiro gasto em um dia de guerra do Iraque poderia comprar casas para quase 6500 famílias ou cuidados de saúde para 423529 crianças, ou poderia suprir 1,27 milhões de lares com eletricidade renovável. (AFSC 21 Sep 2007) AQUI
A invasão produziu Mais de 3 milhões de refugiados iraquianos e o deslocamento interno de 2.778.305 de pessoas (PDI). Na Jordânia: 700.000-750.000 - Na Síria: 1.500.000-2.000.000 - No Egito: 150,000 - No Irão: 100,000 pessoas - No Líbano: 40,000 - Nos Estados do Golfo: 200,000 - Na Turquia: 10,000 - No restante o mundo: não há estimativas disponíveis. (IRCO 01 de Julho de 2007) AQUI

PUBLIQUEI este texto há sete anos e como o leitor deve ter percebido, os números não foram atualizados porque as atualizações desapareceram.

Alias, esses números jamais foram publicados pela mídia-empresa pelo simples hábito dessa mídia tratar seus leitores como tolos.

Pobre humanidade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.