domingo, 23 de novembro de 2014

The best of Kátia Abreu

GilsonSampaio

Diante da possibilidade de Kátia Abreu assumir o Ministério da Agricultura me vi obrigado a re-publicar a performance espetacular da senadora ruralista na COP 15 - Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas/Copenhague-Dinamarca/2009.

Divirtam-se, se forem capazes.

Kátia demo feudal Abreu se revela a defensora mor do meio-ambiente

Katia esquizofrenica

Ao ler algumas declarações da senadora Kátia demo feudal Abreu pensei tratar-se de um clone geneticamente modificado. Enganei-me, tratava-se apenas de um personalidade destrambelhada atuando num palco. Parêntesis. Será que a distinta foi a Copenhagen para se cacifar a vice do Zé Aluvião? Fecha parêntesis.

Alguém desavisado bem que poderia confundi-la com uma ecologista de de quatro costados e militante do Greenpeace de longa data.

Algumas são ridículas, outras cínicas, outras as duas coisas.

http://twitter.com/KatiaAbreu

“A sobrevivência da vida na Terra depende do ar puro, da água limpa e da comida. Ambientalistas e produtores precisam caminhar juntos”.

Essa bombástica revelação da senadora idem vai revolucionar o mundo. Todos os tratados de ecologia deverão ser reescritos. Sugiro que lancemos o nome da senadora para o prêmio Nobel de… da…

“Mais cedo, me reuini com Alexander Müller, da FAO, e propuz parceria para produzir alimentos na África”.

Coitados do africanos. Que mal eles fizeram para merecer tal ameaça.

“Acabei minha segunda palestra na COP15. Reafirmei o compromisso de multiplicar a produção de alimentos sem desmatar”.

Essa eu entendi direito. Aquele envelope da Monsanto explica tudo. Transgênicos com doses letais de veneno. Aquele negócio de ar puro e água limpa, depois resolve.

Nós, produtores, queremos preservar e consolidar as áreas de produção, além de não desmatar mais um palmo da floresta

Também não foi difícil o entendimento. As terras griladas continuam com seus donos e, uma vez, que, não há uma palmo de floresta para ser derrubada nessas terras, a promessa é factível de ser cumprida. Ela é um gênia, não é?

“A sobrevivência da vida na Terra depende do ar puro, da água limpa e da comida. Ambientalistas e produtores precisam caminhar juntos”.

Essa eu já comentei. Não vou falar mais nada.

http://robertatum.com.br/noticia/katia-abreu-diz-que-so-o-brasil-abre-mao-de-producao-em-favor-da-preservacao/2870

Segundo ela, a floresta não deve ser vista como pulmão porque ela seqüestra CO2 em quantidades bem menores que algumas plantações agrícolas, por exemplo.

"Na floresta, as árvores já estão crescidas, enquanto que, nas plantações de cana-de-açúcar e algumas pastagens, que são renovadas todos os anos, as plantas estão crescendo e seqüestrando CO2 quase que permanentemente, então, a agricultura e o meio ambiente não podem ser vistos separadamente", afirmou.

Xi! Acho deu algum ‘pobrema’ na hora que implantaram o chip ecológico na senadora. Deu defeito e vai ser ponto negativo na corrida para o Nobel. Nobel de que mesmo? Segundo a neo-çábia ecologista, as árvores quando crescidinhas e velhinhas sequestram menos carbono que as plantações de cana-de-açúcar e suas queimadas e, também, menos que os pastos onde os boizinhos vivem arrotando e peidando metano, butano e outros gases menos votados. Burrice e cinismo não formam uma boa parelha.

"Nós acreditamos no desmatamento zero e acreditamos no desmatamento zero já, imediatamente", afirmou a senadora Kátia Abreu, presidente da CNA, durante palestra na Conferência do Clima em Copenhague. Segundo ela, a mudança do Código Florestal, que está na pauta de reivindicações dos produtores brasileiros, não tem o objetivo de produzir qualquer dano ao meio ambiente. "Ao contrário, nós, produtores, temos interesse na preservação, queremos sim a consolidação das áreas de produção, mas não queremos desmatar mais um palmo da floresta", assegurou. "Além disso, queremos recuperar áreas sensíveis, corrigir erros cometidos no passado", completou

Na Amazônia os proprietários são obrigados por lei a conservar 80% da floresta nativa. Tem projeto do senador pessedebelento Flexa Ribeiro/PA que defende a inversão das porcentagens, ou seja, Floresta Zero, vem daí a alcunha de miss desmatamento pregada pelos ambientalista na senadora defensora do projeto. Kátia demo feudal Abreu quer tirar o Código Florestal da competência da União para facilitar para os ruralistas. Cada estado poderia elaborar seu próprio Código Florestal e assim governadores ruralistas adaptariam o meio ambiente aos seus nada nobres interesses. Isso ela não explicou em Copenhagen. Noto uma preocupação constante da senadora com a “consolidação das áreas de produção”. Senadora, terra grilada ou roubada com a conivência de cartórios têm de ser devolvidas à União, afinal, são propriedade de cada um dos brasileiros. Entendeu ou tá precisando de outro chip?

__________________________________________________________

Ainda tô achando que ela foi pra Dinamarca pra se cacifar a vice do Zé Aluvião. Te cuida, Zé Aluvião. Te cuida, Brasil.

__________________________________________________________

Pode ser também negócios com a quadrilha que domina a produção de adubos, sementes transgênicas e os ultravenenosas defensivos agrícolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.