quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Ignorância que mata

Sanguessugado do Bourdoukan

Georges Bourdoukan

Ai de quem cai na rua e precisa de socorro

Um fato corriqueiro, mas que mostra a insensibilidade do ser humano.

Estou caminhando na orla de Santos quando vejo uma aglomeração.

No chão, uma senhora de mais ou menos 40 anos está caída inconsciente.

Pergunto o que aconteceu.

Como ninguém respondeu agacho para observar melhor a cena.

Um jovem me alerta: “cuidado, ela pode ser perigosa, vi ela caindo espumando”.

Outro jovem me explicou que ela tremeu antes de cair.

Os dois, estudantes de uma escola próxima e carregando celulares, alertavam os demais sobre o fato.

Olhei para os curiosos: “se tremeu antes de cair, provavelmente é epiléptica. Alguém chamou socorro”?

Como ninguém respondeu, pedi um celular emprestado para tomar providências.

Por algum prodígio a aglomeração se desfez. Fiquei ali sozinho, ao lado da senhora que continuava caída.

Resumindo: alguma alma solidária de um dos prédios, ao presenciar a cena, deve de ter pedido socorro.

Os paramédicos do SAMU me confirmaram a epilepsia e a encaminharam para o pronto-socorro.

Da queda até o socorro foi mais de uma hora.

Triste humanidade...

Um comentário:

  1. Sou portadora deste "mal" sei o quanto alguém pode sofrer com preconceito e insensibilidade. Não fico surpresa com as reações pois sei que a "humanidade" está doente, a doença deles é a falta de amor e lamentavelmente não se faz remédio para esse fim. Sei que epilepsia não tem cura, apenas controle. Sei também que para o desamor e a falta de compaixão também não a cura, apenas prevenção ainda na infância, onde o caráter é formado e aprendemos os valores que carregamos conosco a vida inteira e usamos em maior ou menor quantidade.

    ResponderExcluir

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.