terça-feira, 21 de outubro de 2014

Esse povinho que não sabe o seu lugar...

Sanguessugado do Motta

Carlos Motta

Explico melhor: o sentimento de classe social, de casta, é tão arraigado nessas pessoas, que elas não toleram que os mais pobres ascendam socialmente.

Ouço as mais esfarrapadas desculpas para o voto anti-PT.
"É preciso acabar com a corrupção."
"O Brasil está virando uma Venezuela."
"A vida piorou muito com o PT."
E por aí vai.
Sem ter, porém, o título de "cientista social" que alguns exibem para justificar arrazoados que não passam de peças publicitárias, ouso afirmar, com base apenas na percepção, que todas essas justificativas são totalmente falsas.
O fato é que a nossa classe média alta, os ricos e mesmo muitos da classe média, mas média mesmo, detestam o PT justamente pelo bem que as suas políticas sociais e econômicas fizeram ao país.
Explico melhor: o sentimento de classe social, de casta, é tão arraigado nessas pessoas, que elas não toleram que os mais pobres ascendam socialmente.

Quantos de nós já ouviu frases do tipo "aquele fulano não sabe o seu lugar"?
Ora, para quem rejeita qualquer tipo de mobilidade social, que foi criado numa casa ou apartamento com empregadas que dormiam naqueles cubículos abafados, à disposição de seus patrões 24 horas por dia, é inconcebível que essas pessoas ou os seus filhos tenham um emprego bem remunerado, estudem numa faculdade, frequentem e comprem em shopping centers, viajem nas férias - de avião! -, venham um dia a se tornar "doutores" - se é que já não são...
Isso, para quem nasceu e viveu na Casa Grande, com os negrinhos da senzala às suas ordens, é o fim do mundo.
Conheço algumas pessoas, muito bem de vida, que vão à missa todos os domingos, rezam, cantam e tecem louvores ao Senhor, ficam, durante alguns minutos, com o espírito imerso no sentimento de bondade e respeito ao próximo pregado por todas as religiões.
Mas que, fora do templo se recusam a pagar o salário mínimo e a registrar na carteira profissional a sua empregada doméstica.
Nem a lei cumprem.
E se sentem com a consciência tranquila depois que dão a algum pobre coitado uma roupa velha, fora de uso.
Essas pessoas não perderam nada nesta década em que o PT governa o país. 
A contrário, aumentaram seus rendimentos.
Vivem num país que finalmente começou a distribuir suas riquezas e a diminuir a ignóbil desigualdade que o envergonhava no mundo inteiro.
Sob o governo do PT milhões de miseráveis se tornaram pobres, milhões de pobres já estão remediados e a pequena quantidade de ricos ficou ainda mais rica. 
Não houve mudança para pior para quem estava no meio da pirâmide social. 
A única coisa que realmente se alterou foi que o preconceito - de todo o tipo - que essa gente guardava no fundo de sua alma, veio à tona quando a nova realidade social foi percebida.
"O PT está acabando com o Brasil."
Sim, está.
Aos poucos está acabando com um país no qual dezenas de milhões não sabiam que eram cidadãos, não sabiam sequer que tinham direitos.
E isso dói em quem sempre se acostumou a mandar, a ser o senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.