domingo, 12 de outubro de 2014

Dilma e o PT vão enfrentar a Globo? Policial acusa Aécio: “ele é amigo da turma do helipóptero”

Via Revista Fórum

Rodrigo Vianna

A imprensa (comandada pela Globo) martela durante 24 horas acusações sem provas contra o PT. O partido de Dilma tem gente boa e ruim. O PSDB tem muito mais gente denunciada por corrupção.  Mas por que só há denúncias contra o PT na véspera de eleição? Toda vez é assim…

A onda de noticias sobre corrupção impede que o país perceba que estamos diante de dois projetos: um é o programa dos ricos, do desemprego e do arrocho (já conhecemos Aécio=FHC); o outro é o governo que gerou empregos e melhorou a vida dos pobres (apesar de ter feito menos do que tanta gente esperava do PT). Isso é o que está em jogo.

A campanha de Dilma deveria atacar de frente a Globo e a Veja. É combate aberto o que se espera: pra ganhar ou perder! Mas com boas chances de ganhar.

Para que o jogo se equilibrasse, duas coisas teriam que acontecer…

1 – A campanha petista deveria denunciar, de forma frontal, na campanha de TV, o envolvimento da mídia (comandada pela Globo) com a campanha de Aécio. Outros casos precisavam ser lembrados, de forma didática: a tentativa da Globo de impedir a eleição de Brizola em 82, a manipulação do debate em 89, o caso aloprados em 2006 (com a foto do dinheiro mostrada na véspera da eleição), o caso da bolinha de papel (que Ali Kamel – o diretor da Globo – tentou transformam num míssil contra Dilma em 2010).

2 – As graves acusações que pesam contra Aécio deveriam ganhar peso. Elas não virão pela mídia velha. Mas podem se espalhar pela internet. Assim como as acusações que envolvem o PT no caso Petrobras, as acusações contra Aécio não são acompanhadas de provas, mas de indícios gravíssimos. Além de envolvimento com supostos atos escusos na administração pública, Aécio é acusado de envolvimento com a família Perrela (aquela mesma, do helicóptero com 500 quilos de cocaína) e de adotar um estilo de vida pouco convencional – digamos assim.

Em minha modesta opinião, apoiadores de Dilma não deveriam partir para o vale-tudo nem para ataques pessoais a Aécio.

Até porque, não adianta atacar Aécio sem confrontar a Globo! E quem pode confrontar a Globo? Lula e Dilma. Se o fizerem, incendeiam a militância e podem virar a eleição.

Os apoiadores de Dilma, imagino, estão à espera de um sinal da direção: vai haver um combate aberto ou não? A decisão tem que ser rápida…

Enquanto isso, pessoas que parecem não ter ligações com Dilma e o PT começam a falar na internet o que em Minas todo mundo fala sobre Aécio.

É o caso de policial mineiro, que gravou vídeo no youtube acusando Aécio de envolvimento com a família Perrela – aquela do helicóptero do pó. O policial diz que o tucano “deveria estar preso”.

O policial será processado (ou ameaçado) pela turma de Aécio?

Por que Aécio não processou o “Estadão”, que fez insinuações sobre uso de cocaína em 2009 – com o famoso artigo “Pó pará, governador”?

O Brasil pode-se dar ao luxo de escolher um presidente sobre quem pesam dúvidas tão graves? Juca Kfouri acha que não. Aécio jamais processou Juca pelas graves acusações contidas no artigo.

Dilma e o PT erraram feio por não enfrentar o poder da velha mídia desde 2011. Ainda que não quisesse (ou não tivesse apoios suficientes) para aprovar uma Lei da Comunicação no Congresso, Dilma deveria ter feito ao menos o embate político: mostrando ao povão que a mídia velhaca tem lado e funciona como um partido.

Dilma preferiu preparar omeletes com Ana Maria Braga. Visitou a Folha, distribuiu agrados aos coronéis da imprensa. Agora, na véspera da eleição, a mídia velhaca age como sempre: parte para os ataques sem provas contra apenas um dos lados.

Foi sempre assim: contra Vargas, contra Jango, contra Brizola, contra Lula…

No PT, já se avalia que os ataques (que devem persistir até o dia 26) freiam o crescimento de Dilma e podem impedir uma reação. Na real, Dilma está a 2 ou 3 pontos de Aécio. Empate técnico – com o tucano levemente na frente. Esqueçam a pesquisa Sensus – aquilo é piada, pra ser usada no programa tucano.

Vejamos: Dilma teve quase 42% dos votos válidos no primeiro turno. Com 2% que foram pra Luciana e outros nanicos, chega a 44%. Faltaria a ela conquistar entre 6% e 7% dos 22% que votaram em Marina. Ou seja: menos de um terço dos votos marineiros.

Não é uma operação impossível, em condições normais. Acontece que não estamos em condições normais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.