quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Lição que fica

feicibuqui do Milton Temer

TRAÍRA NUMA FARSA ANUNCIADA - "Eu acho que é um funcionamento normal do sistema judiciário". Foi essa a manifestação de Henrique Meirelles, sobre a condenação de Lula em Porto Alegre. Lacônica, distante, a partir de Davos, onde se entrelaça com os maganos de todo o mundo, na "venda" do Brasil a predadores sociais da globalização financeira. Os auto-denominados "investidores",

POR QUE DESTACO tal declaração em meio a tantas outras canalhices divulgadas no Globo de hoje sobre a decisão do TRF-4? É para lembrar que esse sacripanta sempre esteve nesse circo de especuladores da globalização financeira exatamente a partir de sua nomeação à presidência do Banco Central, num dos primeiros atos de Lula em seu primeiro mandato..
DO NOMEAÇÃO POR LULA que não hesitou em cometer a transformação da presidência do BC em ministério para livrá-lo de investigação em primeira instância de denúncia por sonegação tributária e evasão de divisas.

MEIRELLES NÃO SURPREENDE por essa traição contra seu protetor de antanho, porque outros são seus mentores políticos de hoje - a quadrilha ora hospedada no Palácio do Planalto. Quadrilha que, aliás, só chegou lá por conta de ter sido convidada por Lula a ocupar espaços mais amplos dos que lhe cedera anteriormente o mandarinato tucano de FHC. QUADRILHA com parte importante - Gedel, Cunha, Henrique Alves - já encarcerada, e cujo chefe se mantém em liberdade apenas porque as classes dominantes o consideram o único capataz em condições de implementar o pacote de retrocessos sociais ora em pauta.

LULA QUE, até o início do segundo mandato de Dilma, propunha o banqueiro Trabuco para conduzir as finanças do País - cargo que o dito cujo preferiu entregar a um subordinado, Joaquim Levy - foi golpeado por suas crias pestilentas. Pelas crias de um Pacto Conservador de Alta Intensidade cujos componentes da Casa Grande não tiveram peias para fazê-lo virar bagaço quando não tinha mais por onde fornecer suco.

LIÇÃO QUE FICA - Com esse patronato canalha, e seus agentes, a esquerda não pode fazer acordo. Tem que confrontá-los se recordando permanentemente de algo anunciado por um democrata-cristão chileno, Radomiro Tomic, quando o seu partido se uniu aos fascistas para golpear Allende: "Toda vez que as esquerdas se aliam com a direita, é a direita quem ganha".


LUTA QUE SEGUE. portanto, com a devida reverência a esse saudoso democrata-cristão progressista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.