terça-feira, 28 de novembro de 2017

Documentário: o suicídio de Reitor Cancellier e o ferir a lei em nome da lei




Bob Fernandes

Estreou nas redes sociais o documentário "Em nome da Inocência: Justiça".

Documentário sobre o suicídio de Luiz Carlos Cancellier. Dirigido por Sergio Giron e Edike Carneiro.
.
Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Cancellier se matou há dois meses.         
.
Depois de ser preso sem acusação formal, sem ser réu e sem ter sido ouvido pela justiça. Foi preso, posto nu, submetido à revista íntima. Solto foi proibido de entrar na Universidade.
.
Prisão arbitrária. Sob suspeita de tentativa de obstruir uma investigação. De um caso de 10 anos antes da sua gestão.
.
Nos dias da prisão, escândalo nacional: "Roubalheira", "80 milhões"... Um pedaço de fato e muita mentira.
.
A Operação da Polícia Federal se chamou "Ouvidos Moucos". Ou seja: Ouvidos Surdos.
.
Passados quase 60 dias, silêncio sobre a sequência de erros e sobre Cancellier. Nem um pio de agentes de Estado. E não foram poucos os chamados a operar.
.
Da Polícia Federal, 105 policiais para prender Cancellier e mais seis.  O documentário elenca os que, entendem os autores, teriam se envolvido em decisões...
.
...O corregedor na Universidade, e "adversário político" de Cancellier, Rodolfo Hickel do Prado...
.
...A delegada Erika Marena, ex-estrela na Operação Lava Jato, e a Juíza Janaína Machado.
.
Nunca é demais lembrar: algo como 40% dos 620 mil presos do Brasil não têm culpa formada. Fosse Cancellier um pobre da periferia nem ouviríamos falar.
.
Nessa tragédia, ilegalidades em nome do combate à corrupção. E segue se multiplicando o ferir a lei em nome da lei. 
.
Some-se a dribles na lei por parte de quem aplica a lei. No serviço público o teto salarial é o dos ministros do Supremo: R$ 33.763.
.
Incontáveis reportagens Brasil afora: há juízes que, ao menos uma vez por ano, recebem mais de R$ 100 mil.
.
Resultado de penduricalhos acrescidos ao salário. Tudo, claro, tornado dentro da lei. Mas tudo profundamente imoral se feito por qualquer cidadão dito "comum".
.

Sempre a certeza dos "Ouvidos Moucos", dos olhos vendados e do temor reverencial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.