sexta-feira, 2 de junho de 2017

QUIPROCÓ NO BORDEL DA NOCA

feicibuqui do Francisco Costa

Francisco Costa

Aloysio Gianechine Nunes, negando que os tucanos vão levantar vôo do governo, afirmou que o PSDB não é a Madame Bovary, personagem de Flaubert. Claro que não. Madame Bovary foi adúltera e não prostituta.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Janot denunciou o Mineirinho ao STF. O bicho pegou porque essa denúncia surge no momento em que o PSDB discute debandar do golperno Temer, repetindo o que os golpistas fizeram com o PT, são traíras juramentados em cartório, de berço.

Aloysio Gianechine Nunes, negando que os tucanos vão levantar vôo do governo, afirmou que o PSDB não é a Madame Bovary, personagem de Flaubert. Claro que não. Madame Bovary foi adúltera e não prostituta.

A situação ficou braba no ninho tucano, e por diversos motivos, sendo o primeiro deles o fato do Mineirinho ser a cara do partido, seu presidente ainda (só está licenciado), último candidato à presidência da república, quase vencendo a eleição, e a voz mais atuante no partido.

Virou uma mala sem alça e sem rodinhas, pesadona, pra quadrilha bicuda arrastar por aí.

Recentemente vimos uma foto do alto tucanato reunido na casa do Tunga nos mineiros. Pretendiam que fosse uma reunião padrão Temer-Joelson JBS, secretíssima, já que de conversas escusas.

Lá pelas tantas, bem coerente com o próprio caráter, Popó pediu a alguém para fotografar, que ele queria guardar como lembrança, e no dia seguinte o maluco das alterosas postou a foto nas redes sociais, querendo mostrar prestígio e poder dentro do partido, pelo menos essa é a história que os tucanos, putíssimos com o sócio do Perrela, contaram.

Para mais fundamentar a macumba posta no ninho tucano, a denúncia caiu nas mãos do Ministro Marco Aurélio, que era amicísssimo de Teori e muito não topa com Gilmar Mendes, íntimo coleguinha da tuquadrilha, e na primeira turma do STF, a mais técnica e menos politizada (ou partidarizada).

Na semana que vem o senado deverá votar a cassação do pobre, e mais pepino para os bicudinhos: se cassam o cúmplice mais aumenta o ódio dele, podendo resultar numa delação premiada, espalhando penas e bicos para todos os lados. Se não cassarem confessar-se-ão, em temeriana mesóclise, concordantes com tudo o que está na conta do Sr. Aécio Neves Cunha, a vergonha do vovô.

Cumpre-se assim a profecia de São Renan, o Justiça, de que Aécio seria o primeiro a ser comido.
Tudo isso ligou a sirene de alerta no Planalto, o Anão da Mala deverá ser o segundo denunciado, por tudo que a PGR e o STF já sabem, independente da gravação do noturno namoro do Anão com o Sr. Friboi.

Para mais por em risco o rabo do rato do Jaburu, Rocha Loures vai de xilindró e disposto a abrir a bocarra, numa delação premiada: aquela mala era do meu chefe, tio Temer.

Para mais cravar no presidencial rabo, vazou que a entrevista que ele concedeu na tevê foi comprada e paga com comerciais superfaturados, da Caixa Econômica.

Clima para discussão e votação das reformas... Só se forem reformas nas celas da penitenciária, para melhor acomodação dos futuros hóspedes.

A esquerda está dividida, engessada e lerda, dando faniquitos de não fui eu quem começou... Uma bosta, mas esse golperno é tão ladrãozinho, tão amador na afanação que está caindo sozinho.

O Moro, marido da dona Apae, o que fez ouvido de mercador para cento e seis delações apontando Jucá, o Juca, e quarenta e três na direção do Temer, o que indeferiu perguntas da defesa de Cunha a Temer, funcionando como advogado de defesa de Temer, o que absolveu a zolhudinha das contas suíças?

Se estivesse de bola cheia o CNJ o teria julgado e absolvido.

Ao adiar o julgamento por tempo indeterminado evitaram puni-lo, provocando um racha no Judiciário, o que bem mostra que o rábula de Curitiba, já apanhando da mídia, é bagaço, laranja já chupada.

Demorou a chover pikas no terreiro do vizinho, era só no nosso, mas quando começou a chover lá...

Temporal, e cada uma enorme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.