sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

QUEM MATOU TEORI ZAVASCKI?


feicibuqui do Francisco Costa

QUEM MATOU TEORI ZAVASCKI?

Tido por responsável e altamente competente, o Ministro Teori Zavascki vinha debruçado sobre as delações feitas por 77 funcionários da empreiteira Odebrecht, onde foi aberta a caixa preta da corrupção brasileira, com denúncias à esquerda, à direita e até de executivos e políticos de outros países, no exterior, buscando consistências e inconsistências, coerências e contradições, peneirando todo o dito pelos depoentes.

Zavascki sacrificou as férias (recesso) e deveria protocolar os depoimentos hoje, acatando-os.
São 77 substanciosos e longos depoimentos, dos quais só se conhece um, feito por Claudio Melo Filho, ex vice-presidente de relações internacionais da Odebrecht.

Nele aparecem Michel Temer, citado 43 vezes como LADRÃO do dinheiro público, Eliseu Padilha, citado 45 vezes como LADRÃO do dinheiro público, Moreira Franco, citado 34 vezes como LADRÃO do dinheiro público, Gedell Vieira Lima, citado 67 vezes, como LADRÃO do dinheiro público.

Esta é a cúpula do crime organizado, encastelado no Palácio do Planalto, mas há LADRÕES mais, citados: Aécio Neves, Geraldo Alkimin, José Serra, Aloysio Nunes, Eduardo Cunha, Delcídio Amaral, Rodrigo Maia, Agripino Maia, Renan Calheiros, Heráclito Fortes, Arthur Virgílio, José Carlos Aleluia, Francisco Dorneles... Para ficar só nos golpistas mais conhecidos, a eles se somando dezenas mais, todos LADRÕES do dinheiro público.

Entre a cúpula da quadrilha e os LADRÕES no varejo, o elo de ligação, Romero Jucá, o Marcola da política, o que exigiu que a sangria da Lava Jato fosse estancada, antes que chegasse neles, foi citado 106 vezes como LADRÃO do dinheiro público.

Estes números se referem a um, e eu disse UM, entre 77 , isto, SETENTA E SETE depoimentos, de como a Petrobrás e os cofres públicos enriqueceram uma vasta quadrilha, que deu um golpe de estado para preservar-se fora das cadeias.

Indiscretos assessores dos Ministros do STF e advogados dos beneficiários das delações premiadas, afirmam que as delações atingem mais de 300 cabeças coroadas, inclusive do Judiciário.

E dizem mais: os nomes de Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff NÃO aparecem em nenhum dos 77 depoimentos.

Está quase na hora do povo brasileiro entender que quando gritou Barrabás gritou o nome errado.

E na foto um homem de palavra: falou que ia estancar a sangria e estancou.


A imagem pode conter: 1 pessoa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.