quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Renan fica, banzé também no Supremo. E foto histórica de Moro


"As coberturas, que detém o Poder real, fingem não existir outra saída na busca do equilíbrio de contas."

Bob Fernandes 

Um dos 11 ministro do Supremo, Marco Aurélio concedeu liminar que afastou Renan Calheiros da presidência do Senado...

Gilmar Mendes, outro Supremo, defendeu o impeachment de Marco Aurélio.

Horas depois, Marco Aurélio escancarou o que está em jogo: o Poder. E expôs Gilmar, que já voava para a Suécia.

Expos o jogo de Gilmar ao cobrar da Câmara determinação de abril: instalem a comissão para analisar o impeachment de Temer.

Gilmar tem conversado com Temer, e com o alto tucanato. Ex-presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, tuitou: "Eu avisei".

Na queda de Dilma, Joaquim Barbosa disse o que agora repete: "Foi um impeachment Tabajara, encenação que provocou desestabilização no país".

Multiplicam-se exemplos factuais pós-impeachment. Recordemos
.
Cada vez mais, parlamentares, ministros, juízes, procuradores, delegados, têm se dado o direito de agir como... Imperadores.

Impeachment consumado quando o Dinheiro Grande sentiu cheiro da inadimplência bancária. Como previsível, veio a conta dos que têm fomes: nas sarjetas, e nas coberturas.

A Reforma da Previdência proposta por Temer é choque entre fomes. Trabalhador que não mora nas coberturas ralará 49 anos para ter aposentadoria integral.

As coberturas, que detém o Poder real, fingem não existir outra saída na busca do equilíbrio de contas.

Fingem não dever mais de R$ 1 trilhão e 400 bilhões à União. Fingem não ter escondido mais de meio trilhão de dólares em paraísos fiscais...

...Fingem não saber: em 2013, última conta conhecida, 71 mil ricos tiveram isenção de impostos sobre R$ 200 bilhões.

Isenção na Pessoa Física, por fortuna oriunda de lucros ou dividendos de empresas onde são donos ou acionistas.

Estados quebrados. Praça de guerra no Rio. Manchetes com "Crise Institucional". Ao mesmo tempo, festas e prêmios. No Congresso, coquetéis.

Prêmio para Procuradores da Lava Jato. Com pose para câmeras como se fossem artistas.


Debate nacional: Temer fica ou cai? E uma foto para a História: a cabeça de Temer ao alcance da mão direita o juíz Moro cochicha e ri com Aécio Neves...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.