sexta-feira, 18 de novembro de 2016

República Judiciária Midiática do Brasil

Sanguessugado da Revista Fórum

Renato Rovai

Não soltei rojões pela prisão do Eduardo Cunha.

Dallagnol
Não paguei cerveja para os amigos por saber que o Garotinho vai pra Bangu.

Não vou dar festa com champanhe e direito a usar guardanapo na cabeça porque o Sérgio Cabral vai dormir em Curitiba nesta noite.

Não gostei da agressão ao Caco Barcelos.

Não gosto da Globo.

Achei bizarra a reunião do Dallagnol com o Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e a subserviência do deputado ao procurador.

Achei preocupante a forma como os tais jornalistas se comportaram na entrevista do Roda Viva com o Temer.

Achei esquisita demais a invasão do plenário do Congresso por manifestantes gritando vivas ao Sérgio Moro e pedindo intervenção militar.

Achei revoltante a violência policial contra os manifestantes na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Achei estranho que depois da invasão do plenário do Congresso deputados de direita foram falar que o país está precisando de ordem e misturam o que havia ocorrido na Casa com as ocupações de escolas e a confusão na frente da Assembléia do Rio.

Fiquei abismado com a violência verbal de Gilmar Mendes contra Levandovsky no STF.

E estou mais assustado por isso tudo ter acontecido em menos de 48 horas.

Não dá pra achar que está tudo normal e que as coisas vão se resolver por destino.

Está tudo muito estranho, tudo muito esquisito.

Mas parece haver uma lógica nesta desordem toda.

E o que me parece ser a lógica?

O título.

Sim, não o de algum time de futebol.

Mas o título desta matéria.


Porque quem conhece história sabe que nada acontece por acaso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.