quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Ovo em pé: Lava Jato deve esclarecer suspeita sobre cooperação com EUA Decreto de FHC diz que parceria deve ocorrer via Ministério da Justiça KENNEDY ALENCAR BRASÍLIA A defesa do ex-presidente Lula suspeita que a força-tarefa da Lava Jato esteja colaborando de modo informal com autoridades americanas. O Ministério Público respondeu, por nota, que o assunto é sigiloso e que não se manifestaria. É relevante esclarecer essa questão. Um decreto do governo FHC diz que essa eventual colaboração tem de ser intermediada pelo Ministério da Justiça e não diretamente pelo Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal. Se a força-tarefa estiver estimulando delatores a colaborar com autoridades americanas, isso seria ilegal. Recentemente, o Ministério Público brasileiro ajudou autoridades dos EUA a aplicar multa milionária à Embraer, que compete com a Boeing americana e a Bombardier Canadense no mercado mundial de aeronaves. Já há procedimentos na Justiça americana contra a Petrobras. Logo, é interesse estratégico do Brasil que informações que possam atingir a estatal e nossas empresas privadas sejam feitas de modo transparente. Os Estados Unidos defendem os interesses e as empresas deles. O Brasil deveria fazer o mesmo. O Ministério Público precisa responder claramente a essa questão, deixando claro que, se houver alguma cooperação, ela está seguindo a lei. Melhor para a Lava Jato e o Brasil.

GilsonSampaio

Lava Jato sempre foi um projeto americano, frustrado com a eleição do PT.
Vestais estão descobrindo a pólvora ou aprenderam a colocar ovo em pé. Favor descobrir o que aconteceu com os pilotos do Legacy que derrubaram um boeing da Gol causando a morte de 154 pessoas.


Antes tarde...



Decreto de FHC diz que parceria deve ocorrer via Ministério da Justiça

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A defesa do ex-presidente Lula suspeita que a força-tarefa da Lava Jato esteja colaborando de modo informal com autoridades americanas. O Ministério Público respondeu, por nota, que o assunto é sigiloso e que não se manifestaria. É relevante esclarecer essa questão.

Um decreto do governo FHC diz que essa eventual colaboração tem de ser intermediada pelo Ministério da Justiça e não diretamente pelo Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal. Se a força-tarefa estiver estimulando delatores a colaborar com autoridades americanas, isso seria ilegal.

Recentemente, o Ministério Público brasileiro ajudou autoridades dos EUA a aplicar multa milionária à Embraer, que compete com a Boeing americana e a Bombardier Canadense no mercado mundial de aeronaves. Já há procedimentos na Justiça americana contra a Petrobras. Logo, é interesse estratégico do Brasil que informações que possam atingir a estatal e nossas empresas privadas sejam feitas de modo transparente.

Os Estados Unidos defendem os interesses e as empresas deles. O Brasil deveria fazer o mesmo.


O Ministério Público precisa responder claramente a essa questão, deixando claro que, se houver alguma cooperação, ela está seguindo a lei. Melhor para a Lava Jato e o Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.