terça-feira, 11 de outubro de 2016

MP e PF: briga intestina da tucanalhada

Via TV GAZETA

Bob Fernandes



Com Marcelo e família e meia centena de executivos da empreiteira avança a negociação para a delação da Odebrecht.

E avançam, com ritmos distintos, negociações para retomada de delações da Andrade Gutierrez, OAS e Camargo Correa.

Se tiverem desfecho positivo, tais negociações alteram o rumo da Política. E da sucessão presidencial.

PMDB, PSDB, PT, DEM... De várias formas são citados Executivos, e principais líderes dos grandes partidos.

Há obstáculos sérios no caminho. Localizados em Brasília, na maior parte. Resistência não apenas dos que sabem que serão delatados.

Sem que haja conluio, setores da Polícia Federal, e também do Ministério Público, resistem a novas delações. Por motivos diferentes, alguns obscuros.

Denúncias vazadas nos últimos dias não são obras do acaso; não apenas o de sempre, contra Lula e PT. Agora, também frutos da disputa interna no PSDB.

No alvo Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e ex-secretário de segurança de...Alckmin. E Aécio Neves; no caso Andrade Gutierrez.

E, dois dias depois da eleição, a notícia: inquérito da Polícia Federal investiga compra de termoelétricas no governo FHC.

Crime que já deve estar prescrito. Embora, assim como demais crimes, para a Mídia nada deveria prescrever.

Isso soa mais como vacina para contornar um fato: de que até agora, e há 10 anos, investigam e prendem apenas "os suspeitos de sempre". Como no clássico filme Casablanca.

Por fim, mas não por último. Sua Senhoria O Fato, Os Fatos, indicam que Eduardo Cunha vai dançar.

Para salvar seu pescoço, e o da mulher, Claudia, Cunha terá apenas uma alternativa: delatar.

E ai, além de políticos, inimigos- ou inimigas- e ex-amigos, empresários seriam citados.

Esse é um tempo em que se avacalha a Política. Ao ponto de políticos em campanha política dizerem que não são "Pulíticus".

Nesse tempo em que panelas e bandeiras seguem guardadas, não é demais lembrar.


Doleiros, 21 empreiteiras, banqueiros, comerciantes... centenas dos flagrados pela Lava Jato não são... "Pulíticus". São empresários, executivos... gente de bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.