sábado, 30 de julho de 2016

A boquinha da lava jato e o paisagismo do STF. Lava jato ou vale tudo?

feicibuqui do Francisco Costa

PORQUE SÉRGIO MORO ESTÁ TÃO EMPENHADO NAS DELAÇÕES PREMIADAS E ACORDOS DE LENIÊNCIA?

Até agora, com o incentivo dos golpistas, da mídia, dos Estados Unidos e seus coxinhas amestrados, acreditou-se que o empenho de Moro era só por dever de ofício, puro cumprimento das suas atribuições profissionais e constitucionais, mas seria muito bom para ser verdade.

Mantida até aqui em sigilo e denunciado pela jornalista Daniela Lima, que tornou público os contratos, reproduzindo-os na mídia e nas redes sociais, em todos os acordos onde se prevê a devolução do dinheiro roubado das estatais brasileiras há uma cláusula de pagamento de 10 ou 20%, dependendo do valor devolvido (quanto menor for o valor da devolução, maior a porcentagem), à chamada Força Tarefa da Lava Jato, dirigida por Moro.

Este percentual incide também sobre as multas pagas

Vamos ver se entendi: além dos salários de funcionários públicos, os juízes, procuradores do Ministério Público e Policiais Federais têm uma comissão sobre o que foi roubado?

Isto tem nome: propina e não é diferente do que acontece em praticamente todas as delegacias policiais desse país, quando o cidadão roubado ou furtado, tendo os seus bens reavidos pela polícia, paga uma propina na delegacia, proporcional ao valor do roubado e reavido, para ter os bens de volta.
Vejamos o que diz o artigo 312, da lei número 2 848: “Peculato: crime que consiste na subtração ou desvio, por abuso de confiança, de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio, por funcionário público que os administra, ou guarda, abuso de confiança pública.”
E o artigo 316, do Código Penal: “Concussão: ... agente público exigir vantagem indevida, para si ou para outrem, de forma direta ou indireta,...”

O STF já se manifestou contra esse achaque, que faz da Força Tarefa, dirigida por Moro, repito, tão lesiva às estatais quanto os empresários e políticos que as roubaram.

Mas o que é o STF contra Moro e Gilmar Mendes? O que é o STF contra os Estados Unidos?

Mais um escândalo internacional a nos envergonhar: os juízes brasileiros têm comissão sobre o roubado, confundem-se, entre os ladrões e a lei.

Considerando que cálculos preliminares dão conta que a Petrobras deve reaver 70 bilhões, a Moro & Cia caberá entre 7 e 14 bilhões, o que faz de Youssef e Cia, males menores, prejudicados no rateio do roubo.

Só a Andrade Gutierrez deverá pagar uma multa de 1,7 bilhões, o que renderá 140 milhões de comissão, a ser rateada entre os funcionários públicos da Lava Jato.

Firmada a jurisprudência, a ilegal e criminosa iniciativa dos policiais, de cobrarem propinas para devolveram o que foi roubado e recuperado, passa a ser legal, rotina.

Só o jornal Estado de São Paulo se manifestou, discretamente. O resto da mídia vai bem, obrigado, aguardando ter as suas dívidas com o fisco perdoadas, tão logo a Presidente seja afastada de vez, faz parte do acordo do golpe.

Poderíamos reformar a nossa Constituição, reduzindo-a a artigo único, como afirmou Millor Fernandes: “A partir desta data todo brasileiro está obrigado a ter vergonha na cara, revogadas as disposições em contrário.”


Um bom início é nos manifestarmos contra essa suruba, no domingo, 31/07, exigindo a moralização no país, com a prisão de todos os gangsteres, mesmo que seja juiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.