segunda-feira, 13 de junho de 2016

O novo bordão da república

Feicibuqui do Nildo DomingosOuriques

(aos meus alunos de economia clássica)

O controle das mentes é uma arma decisiva nos regimes eleitorais (algo muito diferente de um regime democrático) No Brasil, a Globo joga um papel estratégico no controle da opinião pública. No monopólio, jornalismo e propaganda atendem ao mesmo objetivo. Tem lá sua eficiência ainda que, obviamente, a empresa não pode suprimir as grandes contradições de um país dependente.

Hoje a Globo divulgou uma propaganda que sintetiza a miserável posição do país na divisão internacional do trabalho. O faz, como sempre, na batida da oposição binária entre moderno e atrasado, tão ao gosto da sociologia uspiana dominante no país. E a "mensagem" é destinada a abobar a juventude, certamente. A propaganda da Globo pretende que nada da vida no Brasil funcionaria sem o latifúndio e o consequente extermínio de camponeses e indígenas resultante da ampliação da fronteira agrícola e da manutenção da estrutura fundiária.

Diz a Globo que

"O AGRONEGÓCIO É TECH"
"O AGRONEGÓCIO É POP,"
"O AGRONEGÓCIO É TUDO"

A matéria não é paga pela Confederação Nacional da Agricultura. É da Globo mesmo.
Colonialismo e dependência na veia e em dose cavalar.


Salud!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.