domingo, 19 de junho de 2016

Da série Isso não vem ao caso: Serra é citado em negociação de delação da OAS na Lava Jato

Via Vermelho




A colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, publicou nesta terça-feira (14) que o senador e chanceler do governo interino, José Serra (PSDB-SP), foi citado em negociação com a OAS, empresa envolvida na Lava Jato.

AE
Serra já aparecia na lista de mais de 200 políticos apreendida em março na OdebrechtSerra já aparecia na lista de mais de 200 políticos apreendida em março na Odebrecht De acordo com a delação, o tucano integra lista de quase uma centena de políticos sobre os quais a empreiteira promete dar informações detalhadas de contribuições para campanhas eleitorais.

Mônica Bergamo conta ainda que Serra pode integrar a delação da Odebrecht. “Ele já aparecia na lista de mais de 200 políticos que foi obtida em operação de busca e apreensão feita na casa de um dos executivos da empreiteira”, publicou.

Segundo a jornalista, Serra “sempre foi admirado na Odebrecht por pessoas do calibre de Pedro Novis, que antecedeu Marcelo Odebrecht na presidência da empreiteira. Novis vai depor na Lava Jato”, sugere.

A colunista recorda que o PSDB já tinha se posicionado sobre a lista apreendida na Odebrecht em que apareciam, além de Serra, políticos como o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional tucano. Segundo Aécio, é preciso separar o “joio do trigo”. Para o PSDB é doação legal, para os outros partidos...

A Odebrecht e o Ministério Público Federal assinaram em maio o documento da negociação de delação premiada e de leniência no âmbito da Operação Lava Jato. Os procuradores terão acesso a toda contabilidade de caixa dois da empresa, o que pode envolver centenas de políticos e autoridades de outros poderes.



Do Portal Vermelho, com agências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.