quinta-feira, 19 de maio de 2016

Utilidade pública: Assim funcionam os paraísos fiscais

Sanguessugado do Outras Palavras



Consórcio Internacional de Jornalistas torna públicos milhares de documentos sobre mais de 200 mil contas secretas. Veja como os “centros offshore” são eficazes para sonegar impostos, esconder fortunas e proteger criminosos



Um vídeo do Inesc

O Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, na sigla em inglês) liberou na semana dados inéditos dos chamados Panama Papers, jogando mais luz sobre os esquemas que grandes corporações e milionários usam para sonegar impostos e esconder o dinheiro em paraísos fiscais. Em meio a críticas (inclusive de Slavoj Ziziek), segundo as quais havia feito vazado seletivamente, há algumas semanas, as informações que obteve, o ICIJ tornou público, em seu site um banco de dados com documentos sobre mais de 200 mil contas ‘offshore’.

CHARLIE1-800-400

Quanto mais dinheiro é sonegado e enviado para contas escondidas em paraísos fiscais, mais sobra para o cidadão comum, que paga seus impostos a duras penas, e para quem depende de serviços públicos e políticas públicas de promoção de direitos.

E como esse pessoal consegue esconder tanto dinheiro em tantas contas falcatruas nesses paraísos fiscais? O Inesc e organizações parceiras produziram um vídeo curto que explica isso. Assista acima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.