quinta-feira, 7 de abril de 2016

CÚMPLICES DA BANDALHEIRA - Miriam Leitão

feicibuqui do Milton Temer

Não tenho um motivo sequer para valorizar o governo Dilma. Muito pelo contrário, a considerar o estelionato eleitoral que praticou com apoio do mentor. Mas muito piores, abjetos, são os que pretendem despeja-lá do Planalto. Eles, e seus porta-vozes na mídia conservador conseguem ser mais desprezíveis.

Miriam Leitão em sua arenga golpista de hoje, mais uma da rotina que não cessa, é prova disso.
Tratar de forma respeitosa Jovair Arantes e o TCU , usando-os como fonte para argumento de tese se revela, no mínimo, baita cretinice editorial, demonstrando quão calhorda é a operação golpista em que ela se inscreve como protagonista de peso.


Jovair é capanga explícito do meliante Eduardo Cunha. E não sem razão. É o típico parlamentar de votos à venda. Parceiro do contraventor Cacheira, é membro destacado da bancada da bola, a que dá cobertura aos crimes da CBF, e faz destacar no currículo o papel de defensor intransigente da indústria de carimbos que faz enriquecer a inútil e improdutiva casta dos proprietários de tabelião.

Quanto ao TCU, valhacouto tradicional de medíocres parlamentares do baixo clero, ora transformado em suprema corte do impeachment, vale lembrar que do presidente, Cedraz, ao relator das contas de Dilma, augusto bardes, o que se comenta não é currículo, mas folha corrida, tal a quantidade de denúncias que existem contra ambos.


Invocando-os, para dar base à sua campanha pelo impeachment, Miriam apenas une sua pena aos votos à venda dos que lhe servem de esteio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.