quinta-feira, 14 de abril de 2016

As Quatro Moedas do Golpe - Nada mais do que isto

feicibuqui do Miranda L José

Jorge Solla


O que o deputado Aliel Machado, da Rede, disse ontem em entrevista é o que eu tenho ouvido de todos os deputados dos partidos da base: que Eduardo Cunha e Michel Temer estão oferecendo de tudo pelo voto no golpe.

Aliel não topou e foi escandalosamente ameaçado pelo chefe da quadrilha, o Eduardo Cunha. Ele relata que ouviu do Cunha, na sala da presidência, que o Temer sendo presidente ele, o Aliel, não poderia mais “andar em Ponta Grossa”, cidade onde pretende disputar a eleição para prefeito. Ameaça escancarada.

O que tenho ouvido é assustador, e as conversas de bastidores são explícitas. As moedas do golpe são quatro: os cargos, as verbas, as ameaças e a blindagem contra a Lava-Jato.

A promessa é de reunir no dia seguinte ao impeachment os golpistas aliados que eles têm na Polícia Federal, no Ministério Público e no Judiciário para sentar em cima da Lava-Jato, blindar todos, acabar com qualquer ameaça de investigação contra qualquer parlamentar. Os corruptos poderão voltar a dormir tranquilos.

O impeachment livra a cara inclusive deles, do Eduardo Cunha, que passa a ser vice-presidente da República. Cunha vice-presidente da República. Vocês pararam para pensar nisso? O maior corrupto da história do Brasil comandar o país levado pelas mãos de deputados corruptos que têm medo da investigação e querem blindagem, num golpe contra uma presidente eleita com voto popular, contra quem não há uma acusação de corrupção.

O Temer, o golpista mor, também está na lama até o pescoço. É citado em duas planilhas de propina da Camargo Corrêa, é citado pelo Cunha como recebedor de propina de 5 milhões em mensagem rastreada de seu celular. É esse o cidadão que pretende comandar o Brasil e livrar-se da prisão, que é para onde ele iria se fosse devidamente investigado e julgado num país em que Ministério Público e Judiciário se levam a sério.

Agora está em curso o golpe de abril de 2016. A decisão de domingo é um caminho sem volta, que poderá custar muitos anos e muitas vidas. Não se derruba um presidente eleito impunemente. Não se entrega o comando do país a uma quadrilha impunemente.

Ao povo brasileiro, peço que vão às ruas. Não vai ter golpe e vai ter muita luta! Vamos vencer!

Querem eleger Michel Temer e Eduardo Cunha presidente e vice-presidente em uma eleição indireta travestida de impeachment. Isso é GOLPE!

O terceiro turno da eleição está sendo jogado e o povo brasileiro vencerá mais uma vez!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.