quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

E la nave vá... (Feliz 2016)

Sangussugado do Bourdoukan

.
Georges Bourdoukan 


 


Vivemos num mundo onde o Ter não tem limite e o Ser é ignorado;

Onde a sociedade agoniza vítima do parasita que produz o emergente;

Onde a educação é obstáculo à inteligência e à liberdade;

Onde a lógica imbecilizante torna a humanidade descartável;

Onde não se busca felicidade ou virtude, mas sucesso.

Onde medo e ódio não permitem pensar no amanhã.

Onde ser e divindade são apenas uma questão de semântica;

Onde Impossível e nunca se anulam;

Onde a natureza humana não suporta limites.

Vivemos num mundo onde a morte é apenas uma ruptura;

Onde nenhuma coisa pode ser vista se você não souber como vê-la;

Onde a verdade está no relâmpago;

Onde você pode atingir o eterno e superar o tempo;

Vivemos num mundo onde a humanidade jamais terá fim, pois Deus precisa do homem para existir; mas o hábito anula a vida.

Onde o além a todos observa impassível.


Somos meros registros que se extinguem quando nossa missão termina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.