quarta-feira, 2 de setembro de 2015

O problema é estrutural: a mídia corrupta não te mostra as outras soluções para o rombo do orçamento

via feicibuqui do Alexandre de Oliveira Périgo

No momento em que o orçamento do governo federal para 2016 escancara um gigantesco rombo nas contas públicas fica evidente que o sistema político brasileiro está esgotado.

Diferente do que a maioria prega - e prega demonstrando terrível simplismo de raciocínio - não bastam homens justos e honestos para que todos os males do pais sejam sanados.

A culpa não é do PT, nem do PSDB, nem do bispo ou do papa.

O problema é estrutural.

A lógica do modo de produção que financiamos com nosso trabalho cotidiano é a da acumulação de capital; assim são eleitos seguidamente representantes dos detentores da grana para que seus interesses sejam defendidos perenemente de dentro para fora do governo - o que incha o estado de forma improdutiva, sem que seus objetivos primordiais de bem-estar de todos os cidadãos sejam atendidos.

Mais: a imprensa também está nas mãos dos donos do dinheiro, para que poucos tomem consciência da exploração a que são submetidos e assim canalizem sua indignação para alvos errados, fáceis e, obviamente, inócuos.

E para quem acha que isso é conversa de marxista quixotesco, sugiro uma brevíssima reflexão matemática.

O rombo no orçamento federal para 2016 é de 30 bilhões de reais.

Os 70 mil homens mais ricos do pais e donos de quase 30% de toda a grana existente por aqui pagam apenas algo como 5% de impostos, enquanto a classe média assalariada - aquela mesma que integra a Orquestra Fritarmônica de Caçarolas - paga no mínimo 23% de impostos sobre tudo o que consome.

Se as grandes fortunas do país fossem taxadas de forma minimamente decente, o governo federal arrecadaria mais 100 bilhões de reais anualmente e não haveria rombo algum - ao contrário, haveria dinheiro para investimentos, geração de empregos e diminuição dos efeitos da recessão mundial por nossas bandas.

E veja, tudo isso dentro da lógica capitalista, sem revolução do proletariado ou outras demandas socialistas.

Mas o que se vê na pauta do dia? Desaceleração da economia chinesa, alta do dólar, operação Lava Jato, o silêncio de Zé Dirceu, saída de Luxemburgo do Cruzeiro e... rombo no orçamento federal.

Falar sobre taxar bilionários? Na TV??

Isso seguramente é devaneio de comunista alucinado de tanto fumar maconha nos intervalos das aulas da USP/FFLCH.

Seria cômico se não fosse imoral, meus queridos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.