segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Dilma, a que foi sem nunca ter sido

feicibuqui do Laerte Braga

DILMA – Os analistas políticos à direita trocaram de alvo. Dilma Roussef é apenas um adereço e Lula é o alvo principal. Está em curso uma grande campanha da mídia e grupos fascistas contra o ex-presidente. O boneco em São Paulo é uma prova definitiva disso.

Dilma hoje é como aqueles acrobatas que colocam as duas pernas no pescoço e saem pulando. Um sapo difícil de ser digerido. Seu governo acabou sem começar. Treinada e conduzida por Joaquim Levy e Aluisio Mercadante não vai a lugar algum e nem vai ganhar medalha. Está desclassificada.

Mais que nunca dá razão a Brizola, quando o ex-governador disse que “essa moça não merece confiança”.

Tem no seu Ministério até quem não sabe o rumo que tomar, ou tenha a menor noção do que faz ali. Joaquim Cardozo, assim, com “z”. Fora do tempo, do espaço e da ortografia.

Tinha todos os instrumentos necessários para se consagrar como uma das grandes presidentes do Brasil. Não joga a terceira divisão da História. É inútil a luta de petistas pela presidente. O que não significa que seu mandato não seja legítimo. É. Só não tem nada a ver com o “seu” partido.

A avalancha golpista que enfrenta, é como afirma o jornalista Jânio de Freitas, insuspeito, que a crise é a própria Dilma. A campanha eleitoral não lhe ensinou que a mídia, as forças retrógadas do País, São Paulo principalmente e seu grande tumor maligno, o PSDB, não têm compromisso com o Brasil e os brasileiros. Mas só com o poder e a qualquer preço.

Não há oposição como se entende por oposição, o que é parte do processo democrático. Há rasteiras, golpes baixos. Quem já ouviu uma palavra de defesa do governo pronunciada pela ministra Kátia Abreu?

O BRICS, alternativa a todo esse governo passou para o segundo plano. O canto de sereia de Obama encantou a presidente. Voltamos a ser adereços. Se um idiota como o governador do Rio Grande do Sul paga 600 reais a servidores públicos, num parcelamento que não aconteceu com as empreiteiras e fornecedores do estado, a culpa é de Dilma. Se, os 600 reais não são culpa de Dilma, o “a culpa é de Dilma” é.

Deixou-se cair na armadilha dos bandidos. Se vai sobreviver ou não são outros quinhentos mil réis. Esta se enrolando cada vez mais. É um triste fim para uma esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.