domingo, 2 de agosto de 2015

CRÔNICA: UM DOS MOTIVOS PARA A POPULAÇÃO TER MEDO DA PM

Sanguessugado do SPressoSP

31/07/2015 0 18

policiamento_favela-da-mare05

Por Willian Novaes

– Encosta essa porra aí.

O sujeito acabou de sacar R$ 2 mil para pagar cinco funcionários. Não deve absolutamente nada. Desce do carro com calma.

– Mão na cabeça vagabundo.

O cidadão levanta as mãos e encosta no murro. É mais um enquadro da PM paulista numa das maiores favelas do país, na Zona Sul da cidade. Os vizinhos saem para ver a geral.

– Onde você está indo mano?

O instalador de cabos de uma TV a cabo responde calmamente que está indo para casa e acabou de sair do banco. O sargento olha nos olhos e dispara mais uma.

– Foi fazer o que no banco seu cuzão.

O homem de 26 anos responde perdendo a calma que o vagabundo ali é ele e que não deve merda nenhuma para ser tratado assim. O PM olha o carro, um popular financiado, e com materiais de instalação e cabos e fios de fibra ótica. O sargento ainda bruto resmunga sem parar e fala alto que na favela só tem vagabundo. Parece claramente drogado e irado. Ele chega perto da carteira. O trabalhador corre e toma a carteira antes do funcionário do Estado pegar.

– Que porra é essa? Quer apanhar aqui na frente de todo mundo?

Já nervoso, o instalador manda ele falar com respeito e leva um empurrão.

– Se fosse a noite você estaria fudido seu cuzão do caralho. Abre essa porra de carteira agora.

Mais tenso, os vizinhos olhando desconfiado, o sujeito abre com calma e mostra os R$ 2 mil em notas de R$ 100 e R$ 50. O PM abre os olhos e tenta pegar a grana. O dono disse que ali ele não mexe nem fudendo.

– Seu cuzão do caralho, noia, filho da puta, dá onde veio esse dinheiro? Vai ter que provar agora.

O cara que já perdeu a calma, a honra e a razão, manda o policial se fuder e que ele não é ladrão porra nenhuma. Trabalha todos os dias e tem três filhos para criar e que sacou o dinheiro no banco na agência que tem conta desde 2004.

– Você vai ter que provar essa porra agora. Vamos até o banco.

Já revoltado com a situação pega o celular e liga para o pai e pede para ele ir até o rua x.

– É uma bichinha mesmo, fez merda e ligou pro papai. Seu cuzão, vacilão.

O instalador fecha a mão e pensa em socar a cara do meganha, mas lembra dos filhos e solta essa: Quer saber vamos todos para a delegacia. O PM olha sem entender nada. O cabo chega mais junto e diz para o sargento parar de fazer aquilo porque está na cara que o moleque é trabalhador. O sargento mesmo assim, xinga mais um pouco e pede para vistoriar o carro. O dono solta mais uma: apenas na delegacia. Você é surdo! O pai chega e todos se dirigem para a DP mais próxima, nos arredores da favela. Na chegada no distrito, o delegado percebe a confusão e libera todos.

– O cuzão vacila a noite para você ver!!!

Essa cena é real. Aconteceu há dois meses atrás. Será que essa história resume porque a população tem medo desta PM? Não precisamos pensar muito para entender que o caos está disseminado. Ah, sempre contra os pobres, pretos e da periferia.

Por destino, conheci homens do comando da PM. Esses parecem que querem melhorar a imagem da corporação. Acho difícil e não perdi a chance de contar essa história. Eles, abaixaram as cabeças e um por um afirmaram que isso acontecesse mesmo, infelizmente. Ponto final. 62% dos moradores têm medo de sofrer agressão policial, pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

Um comentário:

  1. ainda mais num estado onde o governador aparece abraçado com um membro da facaoo PCC QUEM iria confiar numa policia depois de ver seu governador e agora mesmo que dizem que o secretario dce segurança ja foi advogado do PCC será

    ResponderExcluir

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.