sexta-feira, 19 de junho de 2015

Quem pode ser contra o desenvolvimento da indústria nacional e da geração de tecnologia e emprego?

Sanguessugado do Mauro Santayana

A NAÇÃO INAUGURA O ANITA GARIBALDI. COM 650.000 BARRIS DE CAPACIDADE, VAI AO MAR A MAIS NOVA CONQUISTA DA INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA.

(DO BLOG) - Sem comemoração, para não excitar a malta radical e antinacional que torce abertamente contra o país, foi ao mar, com 228 metros de comprimento, 48,3 metros de altura, 40 metros de boca e 72.900 toneladas de porte bruto, o petroleiro Panamax (maior tamanho suportado pelo Canal do Panamá) Anita Garibaldi, construído nos estaleiros EISA, no Rio de Janeiro.  
Depois de anos sem construir sequer uma bacia que pudesse transportar petróleo, a indústria naval brasileira já entregou à Transpetro, os petroleiros André Rebouças, Henrique Dias, Dragão do Mar, Zumbi dos Palmares e João Cândido, e os navios de transporte de produtos José Alencar, Rômulo Almeida, Sérgio Buarque de Holanda e Celso Furtado, aumentando a cada nova embarcação, o índice de nacionalização, que, segundo informou, no mês passado, na inauguração do navio André Rebouças, de 157.000 toneladas, o presidente  do Estaleiro Atlântico Sul, Harro Burmann, atingiu,  nessa embarcação,  72%.
O reerguimento da indústria naval mostra que, enquanto muita gente bate panela, milhares de trabalhadores e engenheiros brasileiros batem (constroem) cascos e  navios, que levarão, com orgulho, o pavilhão nacional a todos os mares do mundo, mostrando a capacidade de realização de nossa gente.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.