segunda-feira, 22 de junho de 2015

Que coisa! Até lá, tem. Aqui, não!

Via Esquerda.net

Dezenas de milhares manifestam-se em Londres e Glasgow contra a austeridade

As manifestações foram convocadas pelo movimento Assembleia do Povo contra a austeridade, sob o lema "End Austerity Now" [Acabar com a Austeridade Agora]. Os protestos juntam dezenas milhares de pessoas e os organizadores dizem que são os maiores dos últimos anos e que as ações vão continuar.

20 de Junho, 2015 - 17:00h

A manifestação juntou milhares de pessoas em Londres e Sam Fairbairn da Assembleia do Povo afirmou: “É o início de uma campanha de protestos, greves, ação direta e desobediência civil por todo o país"

O movimento The People's Assembly Against Austerity (Assembleia do Povo contra a austeridade) junta movimentos sociais, ativistas sindicais e personalidades como a cantora Charlotte Church e o comediante Russell Brand. O movimento critica a forma como os principais partidos políticos (conservadores e trabalhistas, nomeadamente) lançaram ou apoiaram medidas como os cortes orçamentais na saúde ou na educação.

O lema das manifestações é "End Austerity Now" [Acabar a Austeridade Agora] e estas ações pretendem ser o início de uma campanha de protestos contra os novos cortes que o governo conservador pretende impor. Os manifestantes exigem a suspensão e reversão dos cortes impostos pela anterior coligação governamental e pelo atual governo do partido conservador.

No protesto manifestou-se também a solidariedade com o povo grego. Marina Prentoulis do Syriza, presente na manifestação de Londres, denuncia no vídeo abaixo a “guerra contra a austeridade”.

Os manifestantes exigem a suspensão e reversão dos cortes impostos pelo governo britânico

A manifestação de Londres começou em clima de festa, com os manifestantes transportando cartazes, balões e faixas e terminou junto ao parlamento. A passagem junto ao Banco da Inglaterra foi assinalada com sinais vermelhos e fumo.

Lindsey German da coligação “Stop the War” declarou à comunicação social: “Estou farta que todos os principais partidos digam que vão promover a austeridade. "Eles tornaram os ricos mais ricos e os pobres mais pobres e vão continuar.”

A cantora Charlotte Church transportou um cartaz com o lema "Acabar com a austeridade agora", mostrando a sua solidariedade com o protesto e sublinhando que os cortes já foram longe de mais.

Sam Fairbairn da Assembleia do Povo afirmou à comunicação social: “Este é o início de uma campanha de protestos, greves, ação direta e desobediência civil por todo o país. Não vamos descansar até que a austeridade passe à história, os nossos serviços públicos estejam de volta às mãos do povo e as necessidades da maioria estejam em primeiro lugar."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.