domingo, 3 de maio de 2015

Palestina denuncia à ONU violação de direitos infantis cometidos por Israel

Via Opera Mundi

Redação

Embaixador palestino diz que práticas de Israel são “intoleráveis" e pediu à comunidade internacional proteção para crianças palestinas

"A cada dia e de incontáveis formas, as crianças palestinas são vítimas das violações dos direitos humanos por parte de Israel". Em carta aberta a membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o embaixador palestino perante a ONU, Riyad Mansour, apresentou uma queixa contra Israel pela violação de direitos infantis nos territórios ocupados.

Agência Efe

Crianças palestinas em frente a destroços de sua casa atingida por bombardeios de Israel em Rafah, na Faixa de Gaza

A missiva, divulgada neste domingo (03/05) aos meios de comunicação, foi enviada depois da detenção, no começo desta semana, de um menor palestino de 7 anos, acusado pelos agentes de lançar pedras contra um ônibus.

O texto diz que as violações de direitos infantis realizados por Israel nos territórios ocupados são crimes "intoleráveis e inaceitáveis" e pede à comunidade internacional que atue para "fornecer a proteção necessária às crianças palestinas".

O menor, identificado como Ahmad Zaatari, esteve detido em uma delegacia de polícia durante várias horas e foi interrogado sem a presença de seus pais. De acordo com o diplomata, tal experiência foi "horrorosa” e “traumática para qualquer criança de qualquer idade".

Agência Efe

Garota observa casa da família Al Abadlla destruída após ataque do Exército israelense no sul de Gaza

Durante a ofensiva militar realizada no último ano, mais de 400 crianças palestinas morreram e 2,5 mil ficaram feridas nos bombardeios do Exército israelense em Gaza, de acordo com informações da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância). Além disso, 370 mil menores enfrentaram situação traumática e precisariam de ajuda psicológica para enfrentar trauma.

Se se comparar a demografia de Gaza com a dos Estados Unidos seria como se 200 mil crianças norte-americanas tivessem morrido, disse à imprensa Pernille Ironside, que dirige o gabinete do Unicef em Gaza, à época.

Fifa

A Palestina também solicitará a expulsão de Israel da FIFA (Federação Internacional de Futebol) no próximo congresso do organismo, realizado em maio, como informou o presidente da APF (Associação Palestina de Futebol), Jibril Rajub.

Para que a proposta de Rajub prospere, é preciso apoio de uma maioria de ¾ dos 209 membros da entidade. Rajub considera que vai conseguir o apoio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.