terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Cultura inútil: Sobre amor e casamento

Via Boitempo

Alexandre Dumas: “O fardo do casamento é tão pesado que precisa de dois para carregá-lo – às vezes, três”.

Mouzar Benedito

15.01.26_Mouzar Benedito_Cultura Inútil_Sobre amor e casamento

Há muitas frases bonitas sobre amor e casamento. Mas as mais “divertidas” não são nada românticas. Mesmo pessoas bem sucedidas no amor e no casamento dizem coisas malucas sobre essas o assunto.

Selecionei alguns ditados populares e algumas frases de gente famosa (às vezes nem tanto) sobre amor e casamento, para repassar aos leitores:

DITADOS POPULARES

Amor é uma flor roxa, que nasce em coração de trouxa.

* * *

Homens honestos casam cedo, e os prudentes nunca.

* * *

O amor faz passar o tempo, e o tempo faz passar o amor.

* * *

Homem apaixonado não admite conselho.

* * *

Amor é vento: vai um, vem cento.

* * *

Amor e bexiga só dá na gente uma vez.

* * *

Amor de parente é mais quente.

* * *

Quem casa com mulher feia não tem medo de outro homem.

* * *

Amor de asno entra coice e dentadas.

* * *

Se o amor fosse cardeal, há muito tempo o demônio seria papa.

* * *

Amor de pica é que fica.

* * *

Quem casa, quer casa longe da casa em que casa.

* * *

Amigado com fé, casado é.

* * *

Casamento feito, noivo arrependido.

* * *

Casarás e amansarás.

* * *

Quem ama o feio, bonito lhe parece.

* * *

Casar, casar… soa bem e sabe mal.

* * *

Casar é bom, não casar é melhor.

* * *

Casar não é casaca que se pendura na estaca

* * *

O amor é uma cangalha
Que se bota em quem quer bem.
Quem não quer levar rabicho
Não tem amor a ninguém.

* * *

O QUE ELES DISSERAM

Alexandre Dumas: “O fardo do casamento é tão pesado que precisa de dois para carregá-lo – às vezes, três”.

* * *

Martinho Lutero: “No casamento, cada pessoa deve realizar a função que lhe compete. O homem deve ganhar dinheiro, a mulher deve economizar”.

* * *

Millôr Fernandes: “O pior casamento é o que dá certo”.

* * *

Hilda Roxo: “Quanto mais o homem fala em amor, menos ele o tem para dar”.

* * *

Machado de Assis: “O amor quando contrariado, quando não leva a um desdém sublime da parte do coração, leva à tragédia ou à asneira”.

* * *

De novo Machado de Assis: “O amor é um problema que só a morte ou o casamento resolve”.

* * *

São Pedro: “Semelhantemente vós, mulheres, sede sujeitas a vossos próprios maridos, para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavras”.

* * *

Xiquote: “O amor pode conduzir o homem aos crimes mais revoltantes; até ao da procriação”.

* * *

William Shaekespeare: “O casamento faz de duas pessoas uma só, difícil é determinar qual será”.

* * *

Voltaire: “O casamento é a única aventura ao alcance dos covardes”.

* * *

Nelson Rodrigues: “Só o cinismo redime um casamento. É preciso muito cinismo para que um casal chegue às bodas de prata”.

* * *

Lupicínio Rodrigues (na música Esses Moços): “Se eles julgam que a um lindo futuro / só o amor nesta vida conduz / saibam que deixam o céu por ser escuro / e vão ao inferno, à procura de luz”.

* * *

Galeão Coutinho: “O amor é como um piano. As mulheres são o teclado. Não é possível tocar uma grande sinfonia numa tecla só.

* * *

Berilo Neves: “Em negócios de amor, só as pequenas coisas têm importância. Por exemplo: um piolho na cabeça da namorada”.

* * *

Airton, meu amigo: “Casar é bom. Eu já casei quatro vezes”.

* * *

Antônio Feijó: “Quando o amor empreende a mais simples jornada, vai a demência adiante a conduzir-lhe os passos”.

* * *

Camilo Castello Branco: “Duas pessoas que se amam só começam a dizer coisas ajuizadas desde que se aborrecem”.

* * *

Groucho Marx: “As noivas modernas preferem conservar os buquês e jogar seus maridos fora”.

* * *

De novo Groucho Marx: “O matrimônio é a principal causa do divórcio”.

* * *

Abraham Lincoln: “Casamento não é o paraíso nem o inferno – é apenas o purgatório”.

* * *

Lenny Bruce: “Minha sogra destruiu meu casamento. Minha mulher voltou para casa mais cedo e me pegou na cama com ela”.

* * *

Nietzsche: “O casamento transforma muitas loucuras curtas em uma longa estupidez”.

* * *

Joaquim Manuel de Macedo: “O amor mais constante que geralmente se conhece é o amor ao dinheiro”.

* * *

Padre Antônio Vieira: “Melhor é o tédio, que nos salva, do que o amor, que nos perde”.

* * *

Malheiro Dias: “Os tiranos do amor sempre foram reverenciados”.

* * *

Tonico e Tinoco (na música Cana Verde): O amor que vai e volta, a volta sempre é melhor”.

* * *

Medeiros de Albuquerque: “Amor e calvície acomodam-se muito bem nos homens – repelem-se formalmente nas mulheres”.

* * *

Correia Júnior: “O amor é a mais inútil das experiências”.

* * *

Albino Forjas de Sampaio: “As mulheres precisam de pancadas para amar. A pancada é sempre mais sincera do que o beijo”.

* * *

Mark Twain: “O amor é aquilo que depois do casamento se chama engano”.

* * *

Benjamin Franklin: “Antes do casamento os olhos devem estar bem abertos; depois do casamento, semi-cerrados”.

* * *

Sócrates: “Meu conselho é que se case. Se você arrumar uma boa esposa, será feliz; se arrumar uma esposa ruim, se tornará um filósofo”.

* * *

José Américo: “A mulher que ama é a que diz menos, porque é a que mente mais”.

* * *

Barão de Itararé: “O casamento é uma tragédia em dois atos: civil e religioso”.

* * *

Lord Byron: “O casamento vem do amor, assim como o vinagre do vinho”.

* * *

De novo Lord Byron: “Todas as tragédias terminam em morte e todas as comédias em casamento.

* * *

Oscar Wilde: “Os solteiros ricos deviam pagar o dobro de impostos. Não é justo que alguns homens sejam mais felizes do que os outros”.

* * *

Chico Anysio: “Quem é casado há quarenta anos com dona Maria não entende de casamento, entende de dona Maria. De casamento entendo eu, que tive seis”.

* * *

Jô Soares: “Quando saber se o casamento está ruim? Quando, você está engolindo sapo ao invés de comer a perereca”.

* * *

Eu também já falei umas besteiras sobre isso. Exemplos:

Amor com amor se paga. Não nos puteiros…

* * *

Um bom matrimônio pode garantir um bom patrimônio.

* * *

Foi Édipo quem criou o ditado “amor só de mãe”?

* * *

O amor é cego, a Justiça é cega… talvez seja por isso que levam tanta desvantagem aqui.

* * *

PARA TERMINAR ESSAS RANHETICES, NADA MELHOR QUE O SONETO IDEALISMO, DEAUGUSTO DOS ANJOS, POETA PRA LÁ DE PESSIMISTA

Falas de amor, eu ouço tudo e calo.
O amor na humanidade é uma mentira.
É. E é por isso que de amores fúteis
Na minha lira poucas vezes falo.

O amor! Quando virei por fim amá-lo?!
Quando, se amor que a humanidade inspira
É o amor de sibarita e da hetaíra,
De Messalina e de Sardanapalo?

Pois é mister que o amor sagrado
O mundo fique materializado –
Alavanca desviada do seu fulcro –

E haja só amizade verdadeira
Duma caveira para outra caveira,
Do meu sepulcro para o teu sepulcro.

***

Gostou? Clique aqui, para ver todas as outras colunas da série “Cultura inútil”, de Mouzar Benedito, no Blog da Boitempo!

***

Mouzar Benedito, jornalista, nasceu em Nova Resende (MG) em 1946, o quinto entre dez filhos de um barbeiro. Trabalhou em vários jornais alternativos (Versus, Pasquim, Em Tempo, Movimento, Jornal dos Bairros – MG, Brasil Mulher). Estudou Geografia na USP e Jornalismo na Cásper Líbero, em São Paulo. É autor de muitos livros, dentre os quais, publicados pela Boitempo,Ousar Lutar (2000), em co-autoria com José Roberto Rezende, Pequena enciclopédia sanitária (1996) e Meneghetti – O gato dos telhados (2010, Coleção Pauliceia). Colabora com o Blog da Boitempo quinzenalmente, às terças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.