segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Comigo não. Fizemos nossa parte. PT e governo não fizeram a deles

Sanguessugado do Mello

Antônio Mello

Estou de saco cheio do círculo vicioso em que alguns militantes/governistas querem nos colocar.

Lula admite erros do PT e do governo. Dilma, idem. Mas eu e outros defensores do governo (mas não de tudo o que faz o governo), não.

Alegam que estamos fazendo o jogo dos adversários,  que a composição do Congresso está ainda pior e mais à direita, que o PT diminuiu sua bancada... Sem nenhuma autocrítica sobre isso.

A solução que apontam é a mesma, que a meu ver é responsável por esse quadro: continuar apoiando bovinamente o governo, ainda que, por exemplo, a musa do agronegócio contradiga tudo o que pregam.

A escolha de Katia Abreu, a nova ministra da Agricultura, que decretou em entrevista que não existe latifúndio no Brasil, não obedeceu aos critérios defendidos pelos mais realistas que a rainha: Abreu não é a preferida da cota do PMDB nem dos ruralistas. É escolha pessoal de Dilma.

No entanto, não podemos criticá-la, mesmo após ela nos esbofetear com o elogio desvairado que fez ao ministro do STF Gilmar Mendes em artigo publicado na Folha.

Será que não enxergam que o Congresso está mais direitoso, o PT encolhe e as ruas gritam por bandeiras que já foram nossas exatamente porque abandonamos algumas das principais delas em nome de um futebol de resultados a la Parreira que está nos matando?

A seguir nesses passos, na próxima eleição arriscamos perder a presidência, ou ter uma bancada ainda menor e um Congresso mais à direita ainda. E aí os "idiotas da objetividade" (obg Nelson Rodrigues) vão defender o criminoso Bolsonaro para um ministério, em nome da governabilidade e da tal correlação de forças.

Fizemos nossa parte. Defendemos a manutenção do governo, votamos nele, e se nossos votos quase não foram suficientes para reeleger Dilma e não conseguiram eleger um Congresso melhor, muito da culpa está nesse governismo de resultados, que descaracteriza nossas lutas e coloca o PT muitas vezes defendendo o oposto de suas bandeiras históricas.

O máximo que se deve aceitar de composição é jogar pelo empate (nenhum direito a menos, como disse a presidenta) . Para fazer gol contra não contem comigo.

Aécio já deixou crescer a barba. Temos que colocar a nossa de molho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.