segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A vitória da esquerda nas eleições do Uruguai

Sanguessugado do Aldeia Gaulesa

Os uruguaios elegeram nesse domingo (30) o sucessor do presidente José Pepe Mujica: no dia 1º de março, o médico socialista Tabaré Vázquez será reconduzido ao cargo, que ocupou de 2005 a 2010. Este vai ser o terceiro governo consecutivo da coligação de partidos de esquerda, Frente Ampla.
Esta vitória da esquerda nas eleições uruguaias carrega consigo a confirmação de um processo de hegemonia das forças progressistas na América do Sul.

O Uruguai se inseriu neste contexto em 2005, quando o mesmo Tabaré Vázquez venceu as eleições, provocando o rompimento da hegemonia dos partidos Nacional (ou Blanco) e Colorado conduzindo a Frente Ampla ao poder.
Ainda que as forças conservadoras tenham mostrado possuírem um capital político relevante, esta vitória consagra um processo de fortalecimento do campo da esquerda no Uruguai. Esta consolidação da esquerdafica ainda mais nítida se observarmos que dessa vez, a vitória se deu com a maior margem de diferença em relação ao segundo colocado desde 1996.
Tabaré Vázquez disputou o segundo turno das eleições presidenciais com o candidato do tradicional Partido Nacional, Luis Lacalle Pou. Ele obteve 53,6% dos votos, enquanto seu adversário ficou com 41,1%. A Frente Ampla ainda assegurou a maioria no Congresso, no primeiro turno das eleições, em outubro passado.

Os desafios para o próximo período sem dúvida serão imensos. A política de redução e combate a pobreza, acompanhada por ações de inclusão social, promovidos pela Frente Ampla, a exemplo das demais experiências da esquerda no continente, demanda agora uma nova fase, onde a conquista de direitos e qualidade de vida passa a ocupar um lugar central nos anseios populares. Outro dilema, pouco explorado e ainda sem uma solução definida, são as dificuldades das esquerdas latino-americanas em desenvolver um modelo econômico alternativo, que de fato transite para um outro modelo de desenvolvimento.
Talvez a foto desta menina na festa da vitória da Frente Ampla, em Montevidéu, simbolize um pouco deste momento, onde o reconhecimento dos avanços conquistados, se misturam nas esperanças do por vir. Esperança crítica, mas sabedora que o regresso a velhas formulas conservadores não é uma alternativa a ser considerada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.