domingo, 26 de outubro de 2014

Pronunciamento em defesa do povo mexicano

Via O Diario.info

Os Editores

 

 

Rede em Defesa da Humanidade

Yo solo busco y recuerdo a mis amigos
Acaso volverán a venir?
acaso volverán a vivir sobre la tierra?
Solo perecemos una vez
en este mundo.
Sólo una vez, aqui, sobre la tierra.
Oh, dador de vida
que no sufra el corazón de los que crecen a tu lado!
(Nezáhualcyotl. Tlamatinime Azteca)

No dia 26 de Setembro as garras do terrorismo pousaram sobre a vitalidade juvenil das novas gerações que lutam contra o estado geral de deterioração que a sociedade mexicana vive. O assassínio de 6 estudantes no Estado de Guerrero e o desaparecimento de outros 43 jovens despertam a indignação de todos os que sofrem perante qualquer injustiça, onde quer que ela seja cometida, e que nunca se deterão na construção desse outro mundo possível e mais justo, cada vez mais necessário.

Perante estes acontecimentos, a Rede em Defesa da Humanidade tem vindo a registar com profunda dor a impunidade existente, bem como a cumplicidade por parte do Estado mexicano para com o terrível flagelo do narcotráfico e do paramilitarismo. Estes factos são expressão do estado de guerra permanente que se vem verificando no maior país da América Central, desvendando a estreita relação entre o neoliberalismo, a penetração imperialista a partir do Plano Mérida, o terrorismo de Estado e o progressivo desmantelamento das instituições que deveriam proteger os povos.

Manifestamos o nosso reconhecimento, e juntamo-nos a todas as pessoas que no México levantaram com valentia a sua voz, dando testemunho e exigindo que seja esclarecida e que seja feita justiça sobre a atrocidade cometida.

Associamo-nos à jornada internacional convocada pela Coordenadora em Solidariedade com os Estudantes de Ayotzinapa, e reclamamos uma resposta clara e imediata acerca da desaparição dos 43 estudantes e o castigo dos culpados.

Fazemos um apelo à solidariedade revolucionária internacional dos povos do mundo, aos governos da América Latina e do Caribe, e às organizações supra nacionais do continente, a que dêem ouvidos ao clamor por justiça dos nossos irmãos mexicanos.

E denunciamos a escalada militarista que os Estados Unidos vêem impondo aos nossos países a pretexto de “ajuda” contra o terrorismo, que não passa de uma máscara para a intervenção directa, a colonização dos nossos territórios e o desmembramento das nossas sociedades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.