domingo, 12 de outubro de 2014

Mensaleiros do PSDB impunes; jornalista que os denunciou está preso

Via Diário Liberdade

aecio-mg

 Causa Operária

Por trás da repressão ao editor chefe do site novojornal.com, o jornalista Marco Aurélio Flores Carone, está o candidato do PSDB à presidência da República, o atual senador Aécio Neves.

A prisão dos envolvidos no caso do "mensalão" (AP 470) em um julgamento-farsa em contraposição a impunidade do "mensalão tucano" virou sinônimo de injustiça cometida pelo STF. O tribunal, assim como diversas instituições do regime político, tem atuado abertamente a favor da direita. Enquanto encobre casos de corrupção do PSDB, DEM etc., realiza uma ampla campanha pela "moralidade pública". O objetivo, como sempre, é atacar o povo e os direitos democráticos e não combater os corruptos e corruptores.

Tão grave quanto isso é um fato que vem sendo omitido pela imprensa burguesa. O jornalista Marco Aurélio Flores Carone, proprietário do site novojornal.com foi preso no dia 20 de janeiro. O mandado foi expedido pela juíza Maria Isabel, da 2ª Vara Criminal de Belo Horizonte. Qual a relação entre os dois casos? Uma das acusações contra Carone está ligado com a relação dele com o denunciante do "mensalão tucano", um esquema de corrupção envolvendo a empresa Furnas Centrais Elétricas para favorecer a campanha de políticos do PSDB e do DEM.

A ligação entre Carone e Nilton Monteiro, o homem que tornou pública a lista dos corruptos ("Lista de Furnas"), foi considerada pela Justiça como "formação de quadrilha". Outra acusação que levou o jornalista à prisão foi a de "denunciação caluniosa". Neste caso, a acusação está diretamente ligada a matérias de crítica ao candidato presidencial do PSDB e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves.

A própria juíza do caso justificou este ataque a liberdade de imprensa afirmando que a associação entre eles tinha como objetivo "difamar, caluniar e intimidar" adversários políticos. No mesmo despacho, ela ainda afirma que a prisão realizada estaria "amparada no requisito da conveniência da instrução criminal, já que em liberdade poderá forjar provas, ameaçar e intimidar testemunhas, além de continuar a utilizar o seu jornal virtual para lançar informações inverídicas". Mas impedir que um jornalista use o seu jornal para divulgar informações não é um caso de censura prévia?

Em Minas é proibido criticar Aécio Neves

Se o exemplo for aplicado como norma, todo jornalista de Minas Gerais que publicar uma notícia considerada inverídica pela Justiça poderá ser preso. Por isso, a prisão em questão é uma clara ameaça a toda a imprensa; uma tentativa de realizar uma "punição exemplar".

Neste sentido, toda a imprensa ficaria completamente subordinada a quem manda no Estado, o atual senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB). E, de fato, é isso que está acontecendo. Os ataques dele ao NovoJornal não são uma novidade. Sua irmã, Andrea Neves, já tentou intimidar anunciantes deste veículo com o objetivo de sabotar o trabalho de imprensa realizado por Carone. Um dos jornalistas do periódico, Geraldo Elísio Machado Lopes, teve sua casa vasculhada por determinação da Justiça, ou seja, do senador mineiro. Da mesma forma, equipamentos da empresa já foram apreendidos e o site está fora do ar neste momento.

A conclusão é clara: Aécio Neves e a direita fecharam um jornal que faz oposição a eles. O nome disso é censura.

Enquanto isso, o "mensalão tucano" prescreverá em poucos meses. Ainda sobre o caso é importante ressaltar o caso envolvendo a modelo Cristiana Aparecida Ferreira, pois mostra até onde pessoas como Aécio Neves podem ir. Se bem que se pode esperar qualquer tipo de perseguição de uma pessoa que tenta censurar o Google pelo uso de sua imagem. A referida modelo foi assassinada em agosto de 2000. Ela trabalhava como garota de programa para os envolvidos no esquema e transportava o dinheiro desviado da estatal em malas. A versão inicial foi de suicídio, mas depois se constatou sinais de asfixiamento. Suspeita-se de queima de arquivos, pois Cristiana teria manifestado vontade de deixar a quadrilha.

Também há o caso em que Nilton Monteiro, o autor da denúncia, teve sua casa invadida por dez policiais militares que aproveitaram uma vasculha para ameaçá-lo de morte.

Por isso, é preciso divulgar o estado de exceção imposto pelos tucanos, pedir a liberdade do jornalista Marco Aurélio Flores Carone e denunciar as manobras do STF que, faz campanha de poder anticorrupção, mas, na prática, atua a favor dos corruptos do PSDB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.