sábado, 4 de outubro de 2014

A vanguarda do atraso

Sanguessugado do Guilherme Scalzilli

As preferências do eleitorado paulista desmoronam a ilusão civilizatória e modernosa do estado mais rico do país. As prováveis vitórias de Geraldo Alckmin (governador) e José Serra (senador) atestam uma cegueira política e uma ruína de valores incompatíveis com o orgulhoso imaginário local.

Apenas o antipetismo exaustivamente fabricado pela mídia é incapaz de explicar esse fenômeno. Alckmin enfrenta o manhoso peemedebista Paulo Skaf como adversário direto, e o concorrente de Serra, Eduardo Suplicy, tem uma trajetória muito própria, às vezes contrária aos interesses do PT.

O que mais chama a atenção, contudo, é a fragilidade potencial dos tucanos.

Alckmin submergiu num lamaçal de escândalos de corrupção, promessas malbaratadas e colapsos estruturais. Sua incompetência administrativa resultou na maior crise da história das universidades estaduais e na brutalidade da Polícia Militar, chegando ao cúmulo de causar um racionamento de água.

Serra, o mártir da bolinha de papel, figura antipática e autoritária, acumula participações em tenebrosos enredos da crônica política nacional. O suposto envolvimento na máfia das Sanguessugas e as gravíssimas denúncias do livro “A Privataria Tucana” já bastariam para alimentar uma avassaladora rejeição ao candidato.

A eleição de ambos representaria uma vergonha histórica para o povo de São Paulo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.