terça-feira, 30 de abril de 2013

E por falar em crianças...

Sanguessugado do Bourdoukan 

Amigo, não se engane!

Você é livre enquanto não ameaça o sistema.

Vivemos num mundo onde os novos escravos são as crianças. Uma em cada três vive sob a servidão do lucro e da exploração. São crianças que nunca ouviram falar em infância, não freqüentam escola e ignoram o lazer. São míseras peças de uma engrenagem que idolatra a mais-valia.

A esperança para elas é uma quimera.

Esse é o mundo perfeito do capitalismo.

E essas crianças ainda são privilegiadas diante do horror que a “civilização ocidental” representa.

No Iraque, por exemplo, a Cruz Vermelha Internacional informa que registrou a prisão de mais de cem crianças, a maioria delas em Abu Ghraib.

E nessa mesma prisão o jornalista Seymour Hersh, do New Yorker, primeiro jornalista a denunciar as torturas praticadas pelos soldados americanos, declarou durante uma palestra que assistiu a tapes “onde podíamos ver as crianças sendo sodomizadas.

O pior de tudo era ouvir seus gritos”, ressaltou.

Sodomia de crianças é a última manifestação da “democracia de exportação”.

Essa mesma democracia que fala em liberdade de imprensa, mas não permite que essas verdades sejam divulgadas.

Crianças com 8 anos de idade servindo a apetites medonhos de alienígenas que invadiram seu país para aumentar os lucros de empresas.

Amigo, não se engane!

O capital é isso. Vive da posse e da exploração do alheio. Nem que para isso seja necessário invadir países, assassinar populações e estuprar crianças.

Hoje, a miséria é a principal transmissora de doenças e epidemias já extintas.

Graças a esse sistema, vivemos numa sociedade onde o individualismo é levado ao extremo.

O homem deixou de ser um animal social, para se transformar num ser solitário, triste e egoíst

Nem amigos, nem vizinhos, apenas solidão.

Esse sistema seja qual for a fé, governa a matéria e o espírito.

Transformou o ser humano num animal cruel, contra si e contra os outros.

O capitalismo matou os anjos. Hoje, são os demônios que falam em nome de Deus.

Pobres semitas - antes, os arianos, agora, os israelianos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.