quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

De: Augusto dos Anjos Para: Serra

Sanguessugado do Tijolaço

Serra e suas quimeras

Fernando Brito

Se, como disse hoje Fernando Henrique Cardoso ao Estadão, a candidatura de José Serra à prefeitura de São Paulo “dá a ele uma revitalização política” porque a estaria comemorando justamente aquele que, faz tempo, quer jogar ao mar qualquer chance de que Serra continue a  encarnar a neodireita da qual FHC se acha Pater supremo e Deus reverencial?

Porque Fernando Henrique Cardoso, Geraldo Alckmin e Aécio Neves querem, antes e acima de tudo, livrar-se da maldição – e rejeição – que Serra representa hoje, em toda parte do Brasil. Seja amarrando-o à cadeira de prefeito ou, como preferem, afundando-o definitivamente numa derrota eleitoral (fatal) no centro tucano do Brasil.

FHC acha que Serra já teve suas chances e não o acha capaz intectual e emocionalmente de enfrentar Lula.

Alckmin, depois de ter sido empurrado às feras por Serra em 2006, levado dele uma rasteira em 2008 e vencido em 2010 com mais folga que Serra teve nas paulistas e paulistanas, ve a chance de darle um daqueles quadrinhos de botequim, onde está escrito: “Deus te dê em dobro tudo aquilo que me desejares”.

E Aécio, este sabe que, em 2014, o “velhinho” FHC não lhe causará mossa significativa, mas Serra, sim. Mesmo preso à cadeira de prefeito e não conseguindo – embora ninguem duvide de que vai  tentar – estragar suas pretensões presidenciais, terá de ser parte destacada de seu palanque e fonte de antipatia e rejeição.

Serra, assim, vai para a candidatura, ao que parece, como nos versos de Augusto dos Anjos:

Vês! Ninguém assistiu ao formidável

Enterro de tua última quimera.

Somente a Ingratidão – esta pantera -

Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!

O Homem, que, nesta terra miserável,

Mora, entre feras, sente inevitável

Necessidade de também ser fera.

Não há dúvida de que será interessante ver o jogo de bicadas, rasteiras e falsidades que marcará essa campanha.

Serra anuncia candidatura e o PT entra em parafuso. Porquê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.