domingo, 25 de dezembro de 2011

Triste Memória

Sanguessugado do DoLaDeLa

 

Na página 245 do livro A Privataria Tucana, do colega Araury Ribeiro Jr., o jornalista relata o episódio dos arapongas da Anvisa. O escritório funcionou em Brasília, sob o comando do ex-deputado Federal Marcelo Itagiba, quando José Serra era ministro da Saúde, durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

Conta Amaury que Serra só decidiu desativar o serviço de espionagem, depois que a imprensa denunciou que servidores do ministério estavam tendo a vida íntima devassada. Mas, não foi só. Desafetos também eram alvo de seus agentes. Um deles, capaz de rivalizar com Serra a indicação de FHC à vaga de candidato à presidência em 2002, Paulo Renato Souza.

O então prestigiado ministro da Educação foi alvo de uma devassa sem precedentes que, ou a família não teve conhecimento, ou relevou, ou não quis acreditar. Morto no ano passado, depois de enfarte fulminante, Paulo Renato ainda teve que - apenas de corpo presente, ainda bem! - tolerar com enorme desgosto, creio, que Serra consolasse sua família no velório.

É por essas e outras que a política me enoja. Se sou eu ali expulso o sujeito da sala imediatamente. Não tolero esse tipo de hipocrisia (como mostra a foto de época, no alto da página, e atesta o artigo elogioso de um ao outro, no portal G1).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.